Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.098,93
    -2.592,66 (-5,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Holanizado? Técnico ri do termo e não esconde felicidade no Santos

LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE
·1 minuto de leitura


Em pouco mais de um mês, o técnico Ariel Holan conquistou o carinho e a confiança da maioria dos torcedores do Santos. Nas redes sociais, após jogos do Peixe ou entrevistas do técnico, os torcedores afirmam que estão "Holanizados", ou seja, encantados com o treinador.

> Confira a classificação atualizada do Campeonato Paulista

Na entrevista exclusiva ao LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE, o técnico riu ao ser perguntado sobre o termo e não escondeu que a recíproca é verdadeira. Ele está encantado com tudo o que envolve o clube.

- Estou muito feliz no Santos, mas tenho uma responsabilidade muito grande, sei o que significa, temos de trabalhar muito e tomara que os resultados nos acompanhe - afirmou o técnico.

Holan também não escondeu que a história do Peixe foi fundamental para ter aceito o convite do presidente Andres Rueda. Torcedor declarado do Independiente, da Argentina, Ariel Holan afirmou que precisava de um convite para trabalhar em uma grande clube como o Santos para voltar a se motivar no futebol.

-Depois de dirigir o Independiente, que é meu clube do coração, é muito difícil me motivar e seguir adiante. Vir para o Brasil era uma experiência sonhada por mim e era sonhado por mim dirigir o Santos, somente pensando no Rei (Pelé). Estar nesse clube (NR: nesse momento ele pega o símbolo do Santos na camisa) é muito importante para mim. Quando surgiu a oportunidade, quando falei com os diretores, falei com o Andres, não tive dúvidas de que era o lugar em que gostaria de ir - afirmou o técnico.