Mercado abrirá em 8 h 39 min

Heroico, Santos se torna apenas quinto brasileiro a vencer LDU na altitude - veja retrospecto

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Surto de covid-19, contusões e altitude de quase 3 mil metros: antes da bola rolar, o cenário parecia amplamente desfavorável para o Santos, diante da LDU. Mas uma coisa que a história do futebol nos ensinou é não duvidar desta pesada camisa alvinegra. Com uma atuação madura, segura e inteligente, o Peixe saiu de Quito com um resultado pra lá de expressivo: vitória por 2 a 1, gols de Soteldo e Marinho, com Jhojan Julio descontando para os donos da casa.

Apesar do coletivo ter sido o ponto forte da equipe santista na partida, é preciso destacar algumas atuações individuais: o jovem goleiro John, que não sentiu o peso de sua estreia em Libertadores, fazendo defesas importantes que asseguraram a vitória alvinegra; o lateral Pará, que mostrou muita vitalidade mesmo aos 34 anos de idade, incansável na contenção e no apoio, construindo a jogada do primeiro gol; e o atacante Marinho, mais uma vez decisivo, criando a jogada que originou o pênalti convertido por ele mesmo.

LDU v Santos - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images
LDU v Santos - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images

Eleito o melhor da partida pela Conmebol, Marinho vibrou com o triunfo, mas reforçou que a eliminatória não está decidida: "Independentemente de altitude, viríamos aqui para vencer. Sabemos que a LDU é muito forte quando joga aqui, mas também sabemos do nosso potencial. Foi um grande jogo. E tivemos a felicidade de um grande trabalho. Temos de manter os pés no chão e trabalhar forte, porque lá no Brasil vai ser um jogo difícil, também", afirmou.

Vitória histórica

LDU v Santos - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images
LDU v Santos - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images

Ver a LDU sendo derrotada em casa por um clube brasileiro não é um feito comum na história da Copa Libertadores. Muito pelo contrário, na verdade: o triunfo do Peixe no Estádio Casa Blanca foi apenas o quinto de uma equipe tupiniquim sobre os equatorianos, levando em conta apenas as partidas disputadas em Quito.

Antes do Santos, somente Cruzeiro (1976), Corinthians (2000), Sport Recife (2009) e Grêmio (2016) haviam emplacado o feito, em um universo de 20 confrontos.