Mercado fechará em 1 h 2 min

Herdeira bilionária da Basf declara que não vai rejeitar fortuna da família

A herdeira precisou utilizar o tradutor do Google para saber o que estava sendo falado sobre ela (Getty Image)
A herdeira precisou utilizar o tradutor do Google para saber o que estava sendo falado sobre ela (Getty Image)
  • Marlene Engelhorn disse que não recusará o dinheiro

  • No entanto, a ativista diz que quer doar 90% do valor quando receber

  • A jovem de 29 anos faz parte do movimento ‘Tax me now’

Já pensou nascer em uma família muito rica e decidir que não quer herdar o dinheiro acumulado pelos familiares? Ao contrário do que estava sendo veiculado pela mídia, esse não é o caso da Marlene Engelhorn, 29, herdeira da empresa alemã Basf.

Durante uma entrevista ao jornal catalão "ARA", Engelhorn, que se tornou ativista da taxação maior aos mais ricos, disse que não vai rejeitar o dinheiro e ainda declarou que o valor da herança é bem menor que o divulgado, de cerca de R$ 20 bilhões. Ela contou à publicação que o valor está casa dos milhões de euros, e não bilhões.

"Vou herdar um valor de dois dígitos de milhões de euros e eu não vou recusar", disse a jovem austríaca. "Eu gostaria de poder redistribuir pelo menos 90%, se possível através de taxas. Se não, encontrarei uma outra maneira", declarou a jovem.

Quando a notícia começou a circular pela internet, a herdeira não entendeu nem o idioma que era usado nas manchetes. Marlene precisou utilizar o tradutor do Google para saber o que estava sendo falado sobre ela na mídia de outros países.

Marlene Engelhorn faz parte do movimento ‘Tax me now’, formado por outros herdeiros que defendem a taxação de grandes fortunas.

"Meios de comunicação espanhóis e italianos espalharam uma grande quantidade de declarações falsas nas últimas semanas", Lorena Sendic Silvera, diretora da ONG Tax Me Now, disse em entrevista à Folha de S.Paulo.