Mercado abrirá em 6 h 12 min
  • BOVESPA

    121.909,03
    -128,97 (-0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.867,15
    +618,15 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,54
    -0,38 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.837,10
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    55.540,94
    -3.365,95 (-5,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.472,26
    -89,04 (-5,70%)
     
  • S&P500

    4.188,43
    -44,17 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    34.742,82
    -34,98 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.123,68
    -6,03 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    28.015,70
    -580,00 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.265,00
    -91,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3605
    +0,0203 (+0,32%)
     

Herbalife vai pagar US$ 122 mi em multas para resolver caso de corrupção

Allan Ravagnani
·2 minuto de leitura

Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a empresa falsificou registros contábeis e pagou propina a funcionários públicos chineses para obter vantagens A Herbalife concordou em pagar cerca de US$ 122 milhões em multas à Justiça americana para encerrar a investigação do governo sobre violações praticadas na Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA, na sigla em inglês), de acordo com comunicado do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ). Segundo o DoJ, a Herbalife falsificou registros contábeis e pagou propina a funcionários públicos do governo da China com o objetivo de obter vantagens e aumentar o volume de negócios no país asiático. A gigante dos “shakes” vai pagar multa criminal de mais de US$ 55 milhões e outros US$ 67 milhões para a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês). “Ao se envolver em um esquema de uma década para falsificar seus livros e registros contábeis, para assim ocultar pagamentos a funcionários corruptos e entidades estatais, a Herbalife deturpou informações importantes disponibilizadas aos investidores”, disse o procurador-geral adjunto Brian C. Rabbitt, da Divisão Criminal do Departamento de Justiça. “Conforme admitido no acordo, a Herbalife aprovou os pagamentos a funcionários do governo chinês ao longo de 10 anos para promover e expandir os negócios na China”, disse a procuradora Audrey Strauss, do Distrito Sul de Nova York. “Além disso, em um esforço para ocultar esse esquema de corrupção generalizado, a Herbalife manteve registros contábeis falsos para caracterizar esses pagamentos indevidos como despesas comerciais permitidas”, seguiu. Como parte do acordo, a Herbalife concordou em continuar a cooperar com o governo dos Estados Unidos em quaisquer investigações criminais em andamento ou futuras relativas à empresa, seus executivos, funcionários ou agentes. Por volta das 13h52, as ações da empresa negociadas na bolsa de Nova York caíam 0,97%, cotadas a US$ 49,20.