Mercado abrirá em 1 h 59 min
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,16
    -0,45 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.762,60
    +5,90 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    47.497,05
    -355,55 (-0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.206,47
    -26,81 (-2,17%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.006,38
    -21,10 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.487,75
    -30,00 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2105
    +0,0257 (+0,42%)
     

Helicóptero carregado com 300 kg de cocaína cai em Mato Grosso

·2 minuto de leitura

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Um helicóptero carregado com aproximadamente 300 kg de cocaína e com documentação vencida há quase quatro anos caiu neste domingo (1º), em Poconé, município de Mato Grosso, na região do Pantanal, a 100 km de Cuiabá.

A aeronave está em nome do policial civil do Distrito Federal Ronney José Barbosa Sampaio, que afirma ter comprado o helicóptero em 2017 para passeio e tê-lo vendido em maio deste ano por não ter dinheiro para pagar a documentação.

O aparelho sofreu uma pane no domingo, conforme informações do Grupo Especial de Fronteira (Gefron-MT). Houve denúncia sobre a queda do helicóptero e as autoridades foram acionadas.

Ninguém foi preso. Não há indícios de mortos ou feridos no acidente. No local da queda foram encontrados apenas o helicóptero parcialmente destruído e o carregamento de cocaína.

"Fora realizada busca nas proximidades da aeronave, num raio de 10 km, sem êxito na possível localização de suspeitos", diz o texto.

O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer-MT), que participou das buscas pela aeronave, vê indícios de que o helicóptero estava sendo utilizado para tráfico internacional. O aparelho transportava 278,5 kg da droga, que foi encaminhada para a Polícia Federal, que também participou das buscas.

Em comunicado, as forças de segurança afirmam que a aeronave é um modelo R44 matrícula PT-RMM.

Ronney José Barbosa Sampaio é papiloscopista da Polícia Civil do Distrito Federal, conforme informações do portal da transparência local, e recebeu salário bruto de R$ 24,6 mil em junho. A corporação informou que será aberto procedimento para apurar o caso.

O aparelho não tinha autorização para voar por estar com CVA (Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade) vencida desde novembro de 2017, segundo informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O policial afirmou à reportagem ter comprado a aeronave em 2017 para utilizá-la em passeios. Disse ainda que vendeu o aparelho em 21 de maio de 2021 por não ter dinheiro para a renovação da CVA, que, conforme Ronney, custaria US$ 217 mil (R$ 1,14 milhão).

O helicóptero, ainda segundo o policial, estava parado em Goiânia (GO). "Apareceu esse cara e eu vendi", afirmou. A reportagem perguntou quem havia comprado o aparelho, mas o policial afirmou que estava no trânsito e a ligação foi cortada. Houve nova tentativa de contato, sem sucesso.

A apreensão da droga em Poconé foi a segunda no fim de semana em Mato Grosso envolvendo aeronaves. No sábado (31), no município de Colniza, região norte do estado. Um avião que já vinha sendo monitorado. Ao sobrevoar a região, a Força Aérea Brasileira (FAB) foi acionada e interceptou o aparelho, obrigando-o a pousar.

O avião transportava mais de 300 kg de cocaína, conforme informações do Gefron. O piloto e uma outra pessoa que estava no aparelho foram presos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos