Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    18.162,64
    +394,59 (+2,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Heineken tem desempenho melhor que expectativa no 3° tri, mas final do ano ainda é incerto

Por Philip Blenkinsop
·2 minuto de leitura
.
.

Por Philip Blenkinsop

BRUXELAS (Reuters) - A Heineken <HEIN.AS> teve desempenho melhor do que o esperado no terceiro trimestre, com um surpreendente aumento nas vendas de cerveja nas Américas, mas disse que a incerteza ainda causada pela pandemia de Covid-19 a impede de fornecer uma previsão confiável para 2020.

A segunda maior fabricante de cerveja do mundo disse esperar um último trimestre volátil, à medida que novas restrições foram impostas por muitos países da Europa, incluindo com o fechamento de bares e restaurantes. Na Ásia, novas restrições estão em vigor na Malásia, Mianmar e Sri Lanka.

A cervejaria suspendeu sua previsão para 2020 em abril, conforme a pandemia tomou conta do mundo. Nesta quarta-feira, a companhia disse que fornecerá apenas uma visão geral para o resto do ano.

A Heineken disse que lucrará menos por volume vendido diante da transição do consumo em bares para lojas, enquanto os custos provavelmente serão mais altos do que no ano anterior.

A cervejaria já reduziu gastos e algumas despesas de capital. Também afirmou que irá começar a reestruturar a sua sede e escritórios regionais em 2021, com o objetivo de reduzir custos de equipe em 20%.

No geral, os volumes de cerveja da Heineken caíram 1,9% em uma base comparável no terceiro trimestre. Isso se compara a uma queda média esperada de 5,9% em pesquisa compilada pela empresa.

Todas as regiões se saíram melhor do que o esperado, exceto a Ásia, que teve queda no seu segundo mercado mais importante, o Vietnã.

Nas Américas, os volumes de cerveja aumentaram 2,5%, com crescimento de cerca de 10% nos Estados Unidos e no Brasil, onde a Heineken está se expandindo após uma aquisição em 2017 que a tornou a segunda maior cervejaria do mercado, atrás da Ambev <ABEV3.SA>.

((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447727))

REUTERS PS AAJ