Mercado fechado

Heineken confirma investimento de R$ 865 mi em fábrica de Ponta Grossa (PR)

Cibelle Bouças

Recursos visam ampliar em 75% a capacidade produtiva da unidade A Heineken, segunda maior cervejaria do país atrás da Ambev, confirmou que vai investir R$ 865 milhões em sua fábrica de Ponta Grossa (PR), entre 2020 e 2021. A informação foi antecipada pela agência “Reuters”.

Trata-se de um investimento novo, que vai se somar ao aporte de R$ 985 milhões anunciado anteriormente pela companhia para o período de 2019 até junho de 2020, destinado ao aumento da capacidade de produção das fábricas de paulistas de Araraquara, Itu e Jacareí, de Alagoinhas (BA) e de Ponta Grossa. Desse valor, R$ 550 milhões foram aplicados no ano passado e os outros R$ 435 milhões serão investidos neste semestre.

A companhia informou que decidiu antecipar em um ano o investimento, após ter registrado resultados fortes nos últimos anos, consolidando o Brasil como maior mercado consumidor da marca Heineken no mundo, superando os Estados Unidos, em 2019.

O investimento terá por objetivo ampliar em 75% a capacidade produtiva da fábrica de Ponta Grossa. A unidade vai produzir principalmente as marcas Heineken e Amstel. A fábrica também será a primeira a produzir a Heineken 0,0 (sem álcool) no Brasil, informou a companhia.

Heineken aumentará em 75% a capacidade produtiva na fábrica de Ponta Grossa, no Paraná

Simon Dawson/Bloomberg

Em 2019, a Heineken reportou aumento no lucro líquido global de 13%, para 2,17 bilhões de euros. A receita líquida avançou 6,6%, para 23,97 bilhões de euros. Em volume, as vendas aumentaram 3,1%, enquanto o mercado global ficou estável, segundo a consultoria Statista.

No Brasil, a companhia informou que as vendas de Heineken, Amstel e Devassa cresceram mais de 10%, enquanto o mercado de cerveja no país cresceu 2,4%, segundo a Nielsen. A companhia encerrou 2019 com uma participação de mercado de 21,7%, de acordo com dados da Nielsen, atrás da Ambev, com 59,1%.

Investimentos do setor

A Heineken antecipa investimentos no Brasil no momento em que as concorrentes também anunciam novos aportes para ampliar a produção, principalmente de cervejas premium e puro malte.

A Ambev informou no fim de semana que vai investir mais de R$ 2 bilhões no Brasil nos próximos meses para ampliar a produção de cervejas premium, principalmente as linhas puro malte. O plano inclui uma nova maltaria na região Sudeste, uma cervejaria na região Norte, uma fábrica de latas, novas linhas de produção de cervejas puro malte, entre outros investimentos. Os locais das fábricas, de acordo com a companhia, ainda não estão definidos.

O grupo Petrópolis anunciou no ano passado investimento de R$ 1,2 bilhão na expansão de sua capacidade produtiva no país, com uma nova fábrica em Uberlândia (MG) e no fortalecimento do portfólio das marcas puro malte, com o lançamento neste ano da Itaipava Premium Puro Malte e o reforço na produção das marcas Petra Origem, Black Princess e Cacildis — essa última, em parceria com a Brassaria Ampolis.

A notícia da Heineken ajudou a pressionar as ações da Ambev hoje na B3, que fecharam em queda de 1,70%, para R$ 14,42. O Ibovespa subiu 7,14%, para 92.214 pontos. As ações da Heineken na bolsa de Amsterdã fecharam o dia em queda de 3,63%, a 81,32 euros.