Mercado abrirá em 6 h 19 min
  • BOVESPA

    113.430,54
    +1.157,53 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.564,27
    +42,84 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,07
    +0,20 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.941,70
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.152,80
    +286,03 (+1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,33
    +5,54 (+1,07%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +58,83 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    34.086,04
    +368,95 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.915,91
    +73,58 (+0,34%)
     
  • NIKKEI

    27.351,89
    +24,78 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    12.104,50
    -47,50 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5191
    +0,0035 (+0,06%)
     

Headset da Apple pode usar AirPods para som e não teria foco em entretenimento

Enquanto a Meta segue afundando em seu próprio metaverso, a Apple também busca uma alternativa ambiciosa para levar usuários à nova era do consumo com seu próprio headset e universo de realidade mista (unindo a realidade virtual e aumentada). Agora, detalhes vazados pelo site The Information reforçam previsões anteriores e cravam expectativas do produto premium que será anunciado ainda este ano.

É relatado que, diferente do esperado, as alças de suporte de cabeça do headset da Apple não serão intercambiáveis, mas sim fixas. Dessa forma, em vez de permitir diversificar as faixas com diferentes cores, semelhante às pulseiras do Apple Watch, usuários devem se contentar com apenas uma opção definitiva.

Com preço elevadíssimo na faixa dos US$ 3 mil ou cerca R$ 15 mil em conversão direta, seu corpo deverá ser composto por materiais de alta qualidade como vidro, alumínio e fibra de carbono para durabilidade e conforto durante longas horas de uso.

Botão giratório pode alternar entre AR e VR

Headset da Apple pode não usar alças destacáveis (Imagem: Reprodução/Ian Zelbo)
Headset da Apple pode não usar alças destacáveis (Imagem: Reprodução/Ian Zelbo)

Renderizações baseadas em um conceito vazado há alguns anos pelo The Information já mostravam um botão circular projetado para fora do corpo semelhante a coroa digital do Apple Watch e o controle de volume do AirPods Max. Para o headset, seu uso pode alternar entre os modos AR e VR.

No primeiro modo, câmeras externas exibiram o ambiente ao redor do usuário nas duas telas Micro LED de resolução 4K para cada olho, permitindo realizar tarefas variadas em realidade aumentada, cujo material virtual é posicionado por cima do ambiente real. No segundo modo, as câmeras seriam desativadas para que usuários aproveitem a imersão e mundos variados da realidade virtual.

A usabilidade dos usuários com navegação pela interface e ambiente virtual deve acontecer majoritariamente por gestos das mãos e por comandos de voz, embora a empresa tenha testado controladores semelhantes a um dedal e uma varinha.

Headset pode depender do AirPods para áudio

Uso de AirPods com chip H2 pode limitar ainda mais acesso ao já caro headset (Imagem: Reprodução/Apple)
Uso de AirPods com chip H2 pode limitar ainda mais acesso ao já caro headset (Imagem: Reprodução/Apple)

É dito que a Apple incluiria saída de som nas alças do headset para facilitar a resposta sonora durante o uso, mas pessoas perto o suficiente poderiam ouvir o que está sendo reproduzido no dispositivo. Por isso, o uso de AirPods para reprodução de som e chamadas seria obrigatório.

O The Information relata ainda que o headset pode receber um processador H2, o que o tornaria compatível apenas com fones de mesmo chip. Atualmente, apenas o AirPods Pro de segunda geração é equipado com processador H2.

Por conta disso, a Apple poderia lançar um novo fone de ouvido com processador H2 para aumentar a disponibilidade de AirPods com suporte ao headset. Apesar de rumores que a empresa estaria planejando o lançamento de um AirPods "Lite" com chip H1, não há indícios para a chegada de um sucessor do AirPods 3 anunciado no fim de 2021 ou do AirPods Pro 2 anunciado há poucos meses.

Foco para uso empresarial e educacional

Primeira geração de óculos AR/VR da Apple não deve apostar em entretenimento para as massas (Imagem: Reprodução/Ian Zelbo)
Primeira geração de óculos AR/VR da Apple não deve apostar em entretenimento para as massas (Imagem: Reprodução/Ian Zelbo)

Ainda segundo o The Information, é dito que a Apple não estaria planejando grandes ferramentas de consumo multimídia e entretenimento para usuários comuns. Em vez disso a empresa "vê videoconferência como um potencial aplicativo matador" com conversas em ambiente virtual por meio de avatares.

Grupos internos ainda estariam trabalhando em conteúdos educacionais para realidade aumentada.

Segundo o analista Ming-Chi Kuo, o headset deve ser lançado ainda durante o primeiro trimestre deste ano, possivelmente entre os meses de março e julho, mais detalhes relacionados aos óculos de realidade mista da Apple devem surgir em breve.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: