Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.067,38
    -1.348,14 (-2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Headset da Apple avança e pode chegar a preço alto já em 2022

·2 minuto de leitura

A última invenção da Apple a chegar ao mercado foi a AirTag, mas rumores apontam há muito tempo que a empresa trabalha em carros e dispositivos de realidade aumentada. Sobre esses últimos, parece que analistas estão começando a arriscar datas. Para Ming-Chi Kuo, do Digitimes, o primeiro dispositivo RA chegaria já em 2022.

Segundo o veículo econômico, a Apple estaria satisfeita com os resultados alcançados com a segunda fase de prototipagem do dispositivo de realidade aumentada. O aparelho seria, ao mesmo tempo, uma novidade de catálogo e um acessório de luxo para o ano que vem. Isso porque a empresa projeta dois modelos, e só o mais caro estaria disponível no curto prazo.

Esse modelo caro do headset de RA da Apple custaria em torno de US$ 2.000, e para justificar a precificação, a empresa direcionaria suas vendas para os setores industriais. Falta, porém, ajustar o que é viável e o que não é nessa primeira geração do dispositivo. As equipes de Tim Cook estariam com dificuldades de alinhar alguns objetivos que fariam parte da filosofia da Maçã à tecnologia que poderá oferecer neste primeiro momento. Há também preocupações com o aquecimento do hardware.

(Imagem: Reprodução/PC World)
(Imagem: Reprodução/PC World)

Apesar das dificuldades, estaria praticamente definido que o dispositivo pesaria entre 100 e 110 gramas, contaria com câmera e sensor óptico à laser, e traria um chip de 5 nanômetros. Esse último aspecto colabora para o desejo da Apple de oferecer autonomia que não decepcione. A empresa não quer regredir à má fama após ter superado críticas à bateria dos iPhones.

A primeira geração seria totalmente dependente de um iPhone, conectado via Bluetooth. A produção em massa pode começar no segundo trimestre de 2022, com anúncio oficial de vendas em evento no segundo semestre. As expectativas da Apple seriam limitadas, e mesmo assim a companhia estima conseguir produzir até 2,5 milhões de unidades no primeiro ano. O mercado de óculos de realidade virtual em 2020, na totalidade, performou bem abaixo disso.

Versão doméstica ainda sem data

O usuário doméstico, por sua vez, precisaria esperar mais. O segundo headset RA da empresa, esse sim focado no público em geral, nem ao menos teria recebido um design final. Podemos estar falando do Apple Glass. Ele seria uma preocupação secundária da empresa, e não teria produção iniciada antes de 2023. Ainda para o analista do Digitimes, os óculos poderiam chegar apenas em 2025, marcando o fim da "Era Tim Cook" na Apple.

Até lá, a Apple criaria bastante empolgação com o headset, já que a solução industrial estaria ganhando mercado, mesmo a preço de luxo, gerando alta procura quando algo a preço mais popular fosse anunciado. Claro, a empresa não confirma as informações dos seus produtos em fase de desenvolvimento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos