Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.423,71
    -26,61 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Haverá mais altas de juros à frente em luta "dolorosa" do Fed contra inflação, diz Mester

Presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester

(Reuters) - O banco central dos Estados Unidos precisa aumentar a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual em cada uma de suas próximas duas reuniões e, em seguida, avaliar se a inflação moderou o suficiente para diminuir o ritmo dos ajustes ou se é necessário acelerar mais ainda, disse a presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester, nesta quinta-feira.

Embora esse processo possa ser "doloroso" para famílias e empresas, afirmou ela, seria pior permitir que a inflação --agora em máxima de 40 anos de mais de três vezes a meta de 2% do Fed-- continue a minar o poder de compra e prejudicar o ímpeto econômico.

"Os mercados financeiros podem permanecer muito voláteis à medida que as condições financeiras apertam ainda mais; o crescimento pode desacelerar um pouco mais do que o esperado por alguns trimestres; e a taxa de desemprego pode se mover temporariamente acima das estimativas de seu nível de longo prazo", disse Mester em comentários preparados para o Conselho de Economia Empresarial da Filadélfia. "Isso será doloroso, mas a inflação alta também é."

Mester afirmou não acreditar que a situação atual exija que o Fed sacrifique um mercado de trabalho forte para reduzir a inflação.

Mas ela deixou claro que encara pesquisas recentes que mostram o aumento das expectativas de inflação como uma preocupação séria, e que não está convencida de que o salto dos preços tenha atingido seu pico.

"O risco de recessão aumentou, mas como o impulso da demanda agregada subjacente e a demanda por mão de obra são tão fortes, ainda é possível argumentar que, à medida que a demanda e a oferta se equilibram melhor, uma desaceleração acentuada pode ser evitada, com o crescimento desacelerando para um ritmo de tendência este ano, as condições do mercado de trabalho permanecendo saudáveis ​​e a inflação caindo para uma faixa de 4,5% a 5,5% este ano e cedendo ainda mais em 2023", disse Mester.

(Por Ann Saphir)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos