Mercado abrirá em 3 h 3 min
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,08
    -0,53 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.765,60
    +8,90 (+0,51%)
     
  • BTC-USD

    47.718,55
    -244,15 (-0,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.217,34
    -15,95 (-1,29%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.039,92
    +12,44 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.491,00
    -26,75 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2050
    +0,0202 (+0,33%)
     

Hassan inicia busca por 3 ouros em Tóquio com vitória nos 5.000m

·2 minuto de leitura
Corredora holandesa Sifan Hassan

Por Mitch Phillips

TÓQUIO (Reuters) - A holandesa Sifan Hassan conseguiu o que se espera ser o primeiro de uma trinca inédita de ouros nas pistas de corrida dos Jogos de Tóquio, e a sequência impressionante de vitórias do Quênia na corrida com obstáculos masculina terminou quando o sol escaldante deu lugar a uma chuva torrencial nas competições olímpicas de atletismo, nesta segunda-feira.

As condições do clima atrasaram as provas de atletismo, e Valarie Allman acabou vencendo a prova feminina do disco no primeiro lançamento -- um improvável primeiro ouro para os Estados Unidos nesta modalidade nos Jogos.

Se Hassan obtiver sua trinca notável nos 1.500m, 5.000m e 10.000m, ninguém poderá dizer que foi fácil para ela, que começou o dia caindo na última volta das eliminatórias dos 1.500m, levantando-se e disparando para a primeira colocação da bateria.

Turbinada com cafeína, ela voltou à pista de noite e dominou os 5.000m, correndo junto com as concorrentes no início e engatando sua característica disparada na última volta. A queniana Hellen Obiri a segurou durante meia volta, mas ficou para trás e teve que se contentar com uma segunda prata seguida.

Hassan voltará aos 1.500 metros para disputar a semifinal, e também buscará o ouro nos 10.000m, prova na qual já foi recordista mundial e que fechará sua participação na Olimpíada.

"Foi um dia incrível. Quando caí e tive que me levantar, senti que estava usando muita energia", disse. "Antes da corrida aqui, eu nem me importava. Estava muito cansada. Sem café, nunca seria uma campeã olímpica".

Na corrida com obstáculos, as únicas ocasiões em que o Quênia não ganhou o ouro desde 1968 foram quando boicotou os Jogos de 1976 e 1980, e o país buscava seu 10º título olímpico consecutivo na prova nesta segunda-feira.

No entanto, o tabu foi finalmente quebrado, enfaticamente, com o marroquino Soufiane El Bakkali levando o título.

A sessão da manhã produziu ainda sua cota de emoções e arrepios quando Jasmine Camacho-Quinn, de Porto Rico, conquistou de forma impressionante a vitória nos 100 metros com barreiras --o primeiro ouro no atletismo de seu país-- e Miltiadis Tentoglou, da Grécia, ganhou o salto em distância masculino com seu salto final, a primeira medalha de seu país no evento.

O salto de 8,41 metros de Tentoglou colocou-o no mesmo nível do cubano Juan Miguel Echevarria, mas seu próximo melhor resultado foi superior, garantindo o ouro.

(Reportagem de Mitch Phillips, Sudipto Ganguly, Amy Tennery e Omar Mohammed)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos