Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,69
    +0,64 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.784,00
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    50.485,93
    -251,28 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.315,30
    +10,19 (+0,78%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.384,50
    +66,50 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2789
    -0,0608 (-0,96%)
     

Hapvida tem queda de 82% no lucro do 3º tri

·1 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Hapvida teve forte queda no lucro líquido do terceiro trimestre ante mesmo período de 2020, seguindo tendência apresentada por outras companhias do setor, impactadas por aumento da sinistralidade decorrente da pandemia.

A companhia teve lucro líquido de 43,7 milhões de reais de julho a setembro, queda de 82,4% ante um ano antes. No período, a sinistralidade total passou de 60,4% para 72,3%, publicou a companhia nesta quinta-feira.

Com o alta dos gastos com pacientes, o resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) caiu 43%, para 291,5 milhões de reais.

Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 237,8 milhões de reais para a Hapvida, com Ebitda de 476,25 milhões de reais, segundo dados da Refinitiv.

Na véspera, a rival que é alvo de aquisição da Hapvida, NotreDame Intermédica, divulgou sinistralidade de 80,1%, ante 68,6% um ano antes, e prejuízo de 90,7 milhões de reais.

"A sinistralidade no trimestre ainda foi impactada pelos custos residuais da segunda onda da pandemia", afirmou a Hapvida no balanço. Segundo a empresa, excluindo os custos relacionados à Covid-19, custos de empresas recém compradas e "reajuste negativo de planos individuais" a sinistralidade teria sido de 61,6% no terceiro trimestre.

Os custos assistenciais da empresa subiram 41,7% no período, para 1,74 bilhão de reais, e as despesas administrativas tiveram incremento de 35%, a 270,7 milhões.

A Hapvida terminou setembro com 7,45 milhões de clientes de planos de saúde e odontológicos, expansão anual de 16,4% e alta de 3,5% ante o junho.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos