Mercado fechado

Hapvida espera redução de despesas após efeito não recorrente, dizem executivos

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - A Hapvida, maior operadora de planos de saúde do país, espera que o cenário de despesas administrativas melhore nos próximos meses, após alta no terceiro trimestre devido a eventos não recorrentes, disseram executivos da companhia nesta quinta-feira.

A Hapvida, que está integrando os negócios da NotreDame Intermédica após sua aquisição, teve lucro líquido ajustado de 679 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de três vezes ante o registrado um ano antes. O resultado foi beneficiado por um ajuste de preço da aquisição da Promed no valor de 417,4 milhões de reais.

Por volta de 12h41, os papéis, porém, desabavam 10,4% na bolsa, a 6,64 reais, em dia negativo para o Ibovespa, que cedia 2,5%.

Analistas do JPMorgan afirmaram em relatório que um crescimento abaixo do esperado da receita, os patamares maiores de sinistralidade e despesas gerais e administrativas crescentes fizeram com o que o resultado geral do trimestre viesse abaixo do estimado pelo mercado.

"As linhas de despesas com serviços de terceiros e localização e funcionamento estão começando a ser diluídas neste trimestre e a trajetória deve ser de queda", disse Marcelo Moreira, vice-presidente de integração e relações com investidores da Hapvida, a analistas.

A alta administração da empresa afirmou a analistas que contratação de consultorias para a integração da Intermédica ajudou a pressionar as despesas com serviços de terceiros no trimestre, que subiram 124,6% em relação a igual período de 2021.

Em pessoal, despesa que avançou 155,5% na base anual, a 320,5 milhões, Irlau Machado Filho, copresidente da Hapvida, afirmou que houve o efeito não recorrente de dissídio trabalhista retroativo, além do dissídio tradicional. Os executivos da empresa, no entanto, disseram que a magnitude individual desse impacto ainda será apurada.

Machado observou que os reajustes negativos nos planos individuais por causa da pandemia impactaram negativamente à companhia até maio deste ano, com efeito positivo a partir do então. Como percentual da receitas, disse, "acreditamos que vamos continuar diluindo despesas gerais e de vendas no nosso resultado".