Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.250,14
    +1.406,40 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.788,45
    +230,80 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.775,10
    +11,30 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    41.870,14
    -1.865,25 (-4,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.038,96
    -24,88 (-2,34%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    14.985,25
    -24,25 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1971
    -0,0476 (-0,76%)
     

Halterofilista que desapareceu no Japão retorna a Uganda

·1 minuto de leitura
Bandeira dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

O halterofilista ugandense Julius Ssekitoleko, que havia desaparecido de um centro treinamento no Japão antes do início dos Jogos de Tóquio, retornou para seu país de origem nesta sexta-feira, anunciaram as autoridades africanas.

Ssekitoleko havia desaparecido do hotel Izumisano, perto de Osaka, após não comparecer a um teste covid-19.

O ugandense, que não é atleta olímpico, estava no Japão para participar de uma seletiva por uma vaga nos Jogos na capital japonesa, mas não conseguiu a classificação.

Em uma nota encontrada em seu quarto de hotel, ele disse que queria ficar no Japão para trabalhar e pediu que seus bens fossem enviados para sua família em Uganda.

O atleta de 20 anos foi encontrado "são e salvo" na terça-feira pela polícia japonesa, que falou de "comportamento inaceitável".

Nesta sexta, o Ministério das Relações Exteriores de Uganda divulgou que Ssekitoleko havia "violado o código de conduta" da equipe olímpica do país africano e que deveria receber apoio psicológico.

O ministério afirmou estar “empenhado na reabilitação” do atleta para o ajudar na sua carreira.

Salim Musoke Ssenkungu, presidente da Federação de Halterofilismo de Uganda, disse à AFP na semana passada que o atleta treinou "muito duro" para o que poderia ter sido sua primeira competição olímpica no levantamento de peso. Ssekitoleko recentemente ganhou a medalha de bronze no campeonato africano.

gm-txw/md/bk/dr/psr/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos