Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.547,23
    +2.982,78 (+6,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Haddad aceita pedido de Lula e deve ser candidato do PT em 2022

·1 minuto de leitura
Former Brazilian president Luiz Inacio Lula da Silva (R) speaks with former Sao Paolo Mayor Fernando Haddad prior to a campaign meeting of Paris Mayor and candidate for re-election Anne Hidalgo (hiden) at the Theatre du Gymnase in Paris, on March 2, 2020, ahead of March 2020 mayoral elections in France. - France votes in municipal elections on March 15 and 22, 2020. (Photo by JOEL SAGET / AFP) (Photo by JOEL SAGET/AFP via Getty Images)
Fernando Haddad aceitou pedido de Lula para se candidatar novamente à presidência (Foto: JOEL SAGET/AFP via Getty Images)

Fernando Haddad (PT) deve ser candidato à presidência da República mais uma vez em 2022. Em 2018, o petista foi o opositor de Jair Bolsonaro (sem partido) no segundo turno e recebeu cerca de 45% dos votos válidos.

Em entrevista à TV 247, Haddad revelou que aceitou um pedido diretamente do ex-presidente Lula para se candidatar novamente. “Ele (Lula) me chamou para uma conversa no último sábado e disse que não temos mais tempo para esperar. Ele me pediu para colocar o bloco na rua e eu aceitei”, disse.

Leia também:

Em diversas ocasiões, petistas, entre eles Haddad, falaram em uma candidatura do próprio Lula em 2022. No entanto, o ex-presidente está enquadrado na Lei da Ficha Limpa, por isso, está inelegível.

A defesa de Lula tenta anular o julgamento, acusando o ex-juiz Sergio Moro, que condenou Lula, de suspeição. A expectativa é que o Supremo Tribunal Federal julgue o mérito da questão no 1º semestre.