Mercado fechará em 50 mins

Hackers vazam dados médicos roubados de seguradora australiana

Um grupo de hackers começou, nesta quarta-feira (9), a vazar dados médicos roubados de uma seguradora australiana que se recusou a pagar um resgate, incluindo listas de pessoas com HIV ou problemas com drogas.

A Medibank, uma das principais seguradoras da Austrália, disse a seus investidores e clientes que uma "amostra" dos dados de cerca de 9,7 milhões de pessoas foi publicada em "um fórum oculto na web".

As informações roubadas incluem nomes, datas de nascimento, endereços, números de passaporte ou detalhes sobre queixas médicas, em duas listas, a "boa" e o "má"

Na "má", há códigos numéricos associados ao uso de drogas, abuso de álcool ou infecções pelo HIV.

A Medibank já avisou que espera mais vazamentos.

A empresa se recusou a pagar o valor que os hackers pediram para impedir o vazamento, dizendo que isso incentivaria a criminalidade e não garantiria que as informações estivessem seguras.

A Medibank é uma das maiores seguradoras privadas da Austrália e esse vazamento provavelmente afetará algumas das pessoas mais influentes e ricas do país.

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, afirmou que é cliente da seguradora e chamou esse ataque de "um alerta" para as empresas australianas.

Os dados vazados foram postados em um fórum da web oculto conhecido como "Darknet", que não pode ser acessado usando navegadores convencionais.

"Continuaremos publicando dados", teriam escrito os hackers na publicação.

Os responsáveis ainda não foram identificados, mas Justine Gough, comissário da polícia federal australiana, estimou que o vazamento foi obra de "um grupo ou grupos criminosos" que poderiam operar do exterior.

sft/arb/cwl/dbh/an/mb/ap