Mercado fechará em 1 h 35 min

Hacker do Twitter tem mais de US$ 3 milhões em bitcoins

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Graham Ivan Clark, acusado do ataque ao Twitter
Graham Ivan Clark, acusado do ataque ao Twitter

Novas informações a respeito do indivíduo acusado de orquestrar o ataque a contas de celebridades no Twitter no último dia 15 de julho vieram à tona na imprensa da Flórida, estado onde o adolescente de 17 anos foi preso.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo o jornal Tampa Bay Times, o advogado que representa Graham Ivan Clark afirma que seu cliente possui 300 bitcoins, o equivalente a cerca de US$ 3,4 milhões na cotação atual da criptomoeda. As informações são do site Coindesk, especializado em notícias e cotações de criptomoedas (e um dos perfis hackeados por Clark e seu time).

Leia também

As autoridades definiram o valor da fiança de Clark em US$ 725 mil. Os policiais acreditam que ele tenha liderado o ataque, com a ajuda de mais dois indivíduos também presos na Califórnia.

Estima-se que o ataque do dia 15, que obteve acesso e controle ao perfil de celebridades do alto escalão no Twitter, como Elon Musk, Barack Obama e Kanye West, tenha rendido cerca de US$ 117 mil em bitcoins para o grupo, em uma única tarde.

Os golpistas, depois de assumirem o controle dos perfis, começaram a publicar mensagens com pedidos de doações de bitcoins para uma falsa campanha de combate à covid-19. O endereço da carteira apontada era, na verdade, controlada pelos hackers.

O golpe é considerado uma das maiores brechas de segurança na história do Twitter, e contou com o uso de ferramentas de administração internas, acessadas por meio de uma campanha de engenharia social que teve como alvos funcionários da rede social.

O advogado de Graham afirma que os 300 bitcoins do adolescente foram obtidos de forma legítima. As autoridades chegaram a confiscar 400 bitcoins do hacker, e depois devolveram 300 a ele.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube