Mercado abrirá em 6 horas 1 minuto

Hacker é condenado a dois anos de cadeia após tentar chantagear a Apple

Rafael Arbulu

Um cidadão de 22 anos da cidade de Londres, Inglaterra, foi condenado a dois anos de prisão, posteriormente reduzidos para serviços comunitários, após tentar chantagear a Apple a lhe fornecer o equivalente a US$ 100 mil em vale-presentes do iTunes. Sua moeda de troca, segundo ele próprio, seria o suposto acesso que ele teria a 319 milhões de contas do iCloud, as quais ele ameaçava deletar ou resetar caso a fabricante do iPhone não lhe obedecesse.

“Suposto acesso”, haja vista que a Apple não identificou nenhuma falha de segurança ou acesso não-autorizado a qualquer conta do iCloud ou outros serviços oferecidos. Concluindo que se tratava de um blefe, a empresa de Cupertino acionou as autoridades nos EUA e Reino Unido, com a Agência Nacional de Crimes da Grã-Bretanha (NCA) chefiando a investigação.

“Oficiais da divisão de cibercrimes da NCA prenderam Kerem Albayrak em sua residência ao norte de Londres. Dispositivos digitais foram apreendidos, incluindo seu smartphone, computadores e disco rígido. Investigadores da NCA encontraram registros telefônicos mostrando que Albayrak agia como o porta-voz de um grupo hacker autointitulado ‘Família Criminosa Turca’. Para o grupo, ele disse que ‘o ataque vai acontecer com 99,9% de certeza. Mesmo que não aconteça, vocês vão ganhar MUITA atenção da mídia'”, diz o comunicado emitido pelas autoridades.

Ainda citando o comunicado, a NCA disse que encontrou evidências de invasões bem-sucedidas, mas estas tratavam-se de serviços terceirizados, ou seja, não estavam diretamente relacionados à Apple e eram em bem menor do que Albayrak dizia.

“A investigação também confirmou as conclusões da Apple de que não houve sinais de comprometimento dos serviços em rede. Os dados que Albayrak dizia possuir eram, na verdade, de invasões anteriores de serviços terceirizados, sendo que a maioria já estava inativa. Questionado sobre suas atividades, Albayrak disse aos oficiais que ‘quando você é puxado para isso [cibercrime], a coisa escala e torna-se interessante quando fica ilegal’. O cibercriminoso em busca de fama ainda disse que ‘Quando você tem poder na internet, é como ser famoso e todos te respeitam, e todo mundo está buscando isso agora’”.

A NCA ressaltou que outras empresas que passem pelo mesmo tipo de ameaça sigam o exemplo da Apple e acionem as autoridades para as devidas investigações. “Albayrak erroneamente acreditou que poderia escapar da Justiça depois de tentar hackear duas contas e chantagear uma corporação multinacional. Durante a investigação, ficou claro que ele buscava apenas fama e fortuna. Mas o cibercrime não compensa. A NCA tem o compromisso de trazer cibercriminosos à justiça. É imperativo que as vítimas denunciem situações do tipo o quanto antes e retenham todas as evidências”.

Pela documentação da NCA, Albayrak foi sentenciado a dois anos de prisão, posteriomente comutados para 300 horas de serviços comunitários não remunerados, além de ser impedido de usar dispositivos eletrônicos ou acessar a internet em horários determinados pela Justiça. A tentativa de extorsão em si ocorreu em 2017, mas a prática de segredo de justiça britânica fez com que ela só fosse noticiada agora.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: