Mercado fechará em 1 h 6 min

As habilidades essenciais para ter sucesso nas próximas décadas

Muito se fala das habilidades do futuro. Essas capacidades estão muito ligadas ao momento atual que a humanidade está vivendo, a tal da “Modernidade Líquida”. A Modernidade Líquida é definida por um ambiente fluido, onde as coisas mudam a todo momento e onde “a incerteza é a única certeza”, segundo o filósofo Zygmunt Bauman.

Tal movimento, que é inerente às relações humanas, atualmente é ampliado pela alta taxa de inovação tecnológica de cunhos digital (IA, Impressão 3D, IoT, ...) e biológico (Engenharia Genética, Biologia Sintética, ...) aliado a muita conectividade humana (redes sociais, mobilidade, etc), o que acelera a velocidade com que as coisas acontecem, são criadas e destruídas, e que trazem o universo digital para o centro desta revolução.

Nessa nova realidade precisamos nos desprender das habilidades que eram valorizadas na era passada e desenvolvermos novas habilidades. Só assim conseguiremos surfar a modernidade líquida e aproveitarmos essa onda extraordinária chamada Revolução Digital (ou Revolução 4.0).

Apesar de diversos estudos sinalizarem um número grande de novas habilidades, creio que há um subgrupo que representa as principais habilidades necessárias para os profissionais do futuro (que já é presente):

Habilidades Cognitivas

As habilidades sociais são as responsáveis por permitir bons relacionamentos e uma boa comunicação com as pessoas, itens essenciais para ambientes de alta performance.

  • Comunicação clara e eficiente: É a habilidade de se expressar e se comunicar com outras pessoas através de conversas claras e objetivas, ou seja, a habilidade de se fazer entender.

  • Colaboração: É sobre trabalhar em equipe e valorizar o trabalho de casa um, sempre entendendo que o trabalho colaborativo permite a soma das potencialidades do time e onde cada um contribui com o que tem de melhor.

  • Compartilhamento: É transferir conhecimento e opiniões, sobre compartilhar as vitórias e as derrotas.

  • Articulação: Tão importante quanto os demais itens, a habilidade da articulação se posiciona no centro das habilidades sociais, pois é a responsável por viabilizar um ambiente de comunicação confiável a partir de onde acontecem as negociações Ganha-Ganha, o trabalho colaborativo e o compartilhamento de conhecimento e opiniões.

Habilidades Sociais

As habilidades sociais são responsáveis por permitir bons relacionamentos e uma boa comunicação com as pessoas, item essencial para ambientes de alta performance.

  • Comunicação clara e eficiente: É a habilidade de se expressar e se comunicar com outras pessoas através de conversas claras e objetivas, ou seja, a habilidade de se fazer entender.

  • Colaboração: É sobre trabalhar em equipe e valorizar o trabalho de casa um, sempre entendendo que o trabalho colaborativo permite a soma das potencialidades do time e onde cada um contribui com o que tem de melhor.

  • Compartilhamento: É transferir conhecimento e opiniões, sobre compartilhar as vitórias e as derrotas.

Habilidades Comportamentais

Essas habilidades têm um cunho mais individual, mas são igualmente importantes pois são elas que demonstram como você reage a determinadas situações e determinam o seu grau de confiança, transparência e competência.

  • Saber reagir às críticas: é estar aberto a críticas, e entender que muitas vezes elas são importantes para nosso crescimento como pessoa. Isso não significa que você precisa acatá-las, mas sim que precisa ouvir e ter a sabedoria de agradecer e entender que elas podem ser construtivas e te ajudarem a dar o próximo passo.

  • Ser flexível: é entender que em um ambiente de modernidade líquida, é importante sabermos nos construir, desconstruir e reconstruir de forma diferente.

  • Aprender com os erros: é saber que os erros não necessariamente significam fracasso. Muitas vezes os erros podem se tornar aprendizados importantes e catalisadores do seu desenvolvimento.

  • Empatia e sensibilidade: É ter sensibilidade para se colocar no lugar alheio, enxergar e sentir as situações sob a ótica do outro, buscando entender a problemática envolvida a partir desta outra realidade e estabelecer critérios de apoio e resolução de problemas a partir dali.

Como disse Joi Ito, diretor do MIT Media Lab, em algumas de suas palestras: “é hora de parar de achar que é necessário planejar tudo, estocar tudo e estar totalmente preparado, e focar em estar conectado, sempre aprendendo, totalmente consciente e super presente”. E para isso, precisamos redefinir nossas habilidades.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: