Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +2,15 (+2,62%)
     
  • OURO

    1.817,30
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    42.961,42
    -449,79 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +126,50 (+0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3174
    -0,0154 (-0,24%)
     

Há cura para a ressaca? Veja o que diz a ciência

·1 min de leitura

Um estudo publicado na revista científica Addiction analisou diferentes substâncias que costumam ser utilizadas ​​para aliviar a ressaca. O grupo de pesquisadores concluiu, depois de revisar 21 artigos, que não há evidências reais de que algum desses métodos realmente funcione.

Em contrapartida, a revisão ressalta que cravo, ginseng vermelho e suco de pera podem reduzir o desconforto durante a ressaca. Já o ácido tolfenâmico (um analgésico anti-inflamatório), o piritinol (vitamina B6) e o aminoácido L-cisteína trouxeram alguns benefícios.

O grupo percebe, ainda, que esses estudos revisados foram feitos apenas com um pequeno número de participantes, e como nenhuma dessas supostas "curas para ressaca" foi abordada em mais de um estudo, não dá para fazer uma metanálise (técnica que envolve análises estatísticas para comparar resultados obtidos em diferentes pesquisas).

Não há evidências científicas de métodos usados para aliviar a ressaca (Imagem: LightFieldStudios/Envato)
Não há evidências científicas de métodos usados para aliviar a ressaca (Imagem: LightFieldStudios/Envato)

A revisão também alerta que os estudos analisados não apontaram o tipo de bebida alcoólica usada, se foi ou não ingerida com o estômago vazio ou quanto tempo se passou antes que a substância usada para aliviar a ressaca fosse administrada. Outro problema levantado é que, de 386 participantes (uma somatória de todos os estudos), apenas 38,6% eram mulheres.

A conclusão da ciência é que não há uma cura para a ressaca. As substâncias podem até ajudar a aliviar o desconforto, mas não há nada cientificamente comprovado. “As evidências sobre esses remédios para ressaca são de qualidade muito baixa e é necessário fornecer uma avaliação mais rigorosa", afirma o estudo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos