Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,19 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.790,70
    -20,50 (-1,13%)
     
  • BTC-USD

    18.082,24
    +314,18 (+1,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +121,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3922
    +0,0523 (+0,82%)
     

Há convergência conceitual sobre a reforma tributária, diz relator

Matheus Schuch
·1 minuto de leitura

Assim como o ministro Paulo Guedes, Aguinaldo Ribeiro disse que não haverá aumento de carga Relator da reforma tributária na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) afirmou nesta quarta-feira, após reunião no Palácio do Planalto, que há uma convergência sobre as linhas conceituais da proposta e que seu relatório não prevê aumento de carga tributária. “Conceitualmente, acho que existe uma convergência, da simplificação tributária, de trazer transparência para um ambiente em que você cobra o imposto por dentro, sobretudo no consumo, e justiça tributária, fazer uma redistribuição de carga”, afirmou o deputado a jornalistas, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Vem aquilo que dizia há pouco ao ministro na reunião... Se eu puder abrir o nosso relatório, eu diria que o primeiro ponto capítulo seria o seguinte: não haverá aumento de carga tributária”, disse. “Acho que isso é fundamental para que possamos ter reforma que vá impactar positivamente o nosso país”. Aguinaldo Ribeiro disse que reunião com o governo foi “bastante produtiva” valor O relator afirmou que a reunião com Guedes, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e o secretário especial da Receita Federal, José Tostes, foi “bastante produtiva”. “Vamos intensificar essa construção de uma convergência daquilo que o governo colocou com a PEC 45 e a PEC 110 para que possamos avançar num texto que represente o interesse do Brasil”, prometeu. Ribeiro afirmou que na próxima semana serão reiniciadas as audiências públicas na comissão mista que discute a reforma tributária no Congresso. Guedes foi convidado a participar da próxima reunião da comissão.