Mercado fechará em 2 h 9 min
  • BOVESPA

    122.870,71
    +354,97 (+0,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.280,90
    +411,42 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,37
    -0,89 (-1,25%)
     
  • OURO

    1.814,10
    -8,10 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    38.152,43
    -1.602,84 (-4,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    930,72
    -12,72 (-1,35%)
     
  • S&P500

    4.412,90
    +25,74 (+0,59%)
     
  • DOW JONES

    35.043,43
    +205,27 (+0,59%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    15.016,25
    +63,50 (+0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1888
    +0,0447 (+0,73%)
     

Guiné e OMS declaram o fim da segunda epidemia de ebola

·2 minuto de leitura
Foto de arquivo tirada em 24 de fevereiro de 2021, mostra um funcionário do hospital de N'zerekore arregaçando a manga da camisa enquanto se prepara para ser vacinado contra o Ebola em N'zerekore.

A Guiné e a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciaram oficialmente neste sábado (19) em Nzerekore (sudeste) o fim da segunda epidemia de ebola no país africano, poucos meses após o ressurgimento da doença

Desta vez, o vírus foi derrotado com mais rapidez graças à experiência adquirida em 2013-2016, quando matou milhares de pessoas.

A epidemia começou na área florestal do país e se espalhou para a Libéria e Serra Leoa.

Entre o final de 2013 e 2016, a pior epidemia do mundo desde que o vírus foi identificado em 1976 matou mais de 11.300 pessoas, principalmente na Guiné (2.500 mortos), Libéria e Serra Leoa, três dos países mais pobres do mundo.

A própria OMS admite que este é um número defasado.

Em 2021, a epidemia deixou um total de 16 casos confirmados e sete prováveis. Onze pacientes sobreviveram e 12 morreram, de acordo com um comunicado da OMS divulgado neste sábado. O saldo anterior da organização, na quinta-feira, foi de cinco mortos.

“Tenho a honra de falar neste dia de declaração do fim da doença pelo vírus ebola” na Guiné, disse o chefe da OMS, Alfred Ki-Zerbo, em uma cerimônia em Nzerekore, onde a doença reapareceu em Janeiro.

“Gostaria, em nome do chefe de Estado [presidente Alpha Condé], de declarar o fim do ressurgimento da doença do vírus ebola na República da Guiné”, disse a Ministra da Saúde do país, Rémy Lamah.

A cerimônia reuniu cerca de 200 pessoas, incluindo líderes religiosos, nas instalações do Ministério da Saúde em Nzerekore.

Depois de ter declarado oficialmente estado de epidemia em 14 de fevereiro, e seguindo normas internacionais, a Guiné acrescentou na sexta-feira 42 dias sem novos casos, ou seja, o dobro do tempo máximo de incubação, o limite estabelecido para a declaração de fim da epidemia.

O último caso declarado curado foi em 8 de maio, disse um funcionário do Ministério da Saúde à AFP.

Depois de detectados os primeiros casos em Gouecke, na prefeitura de N'Zereke, "as autoridades sanitárias nacionais rapidamente lançaram a resposta, com o apoio da OMS e seus parceiros, valendo-se da experiência acumulada" no combate ao ebola no país e na República Democrática do Congo, de acordo com o comunicado da OMS.

- Reflexos na comunidade -

Durante a epidemia anterior, a relutância das comunidades guineenses em combater o ebola levou à morte de agentes do Estado destacados na Guiné.

Em 2021, graças em parte ao "envolvimento da comunidade, medidas eficazes de saúde pública e uso igualitário de vacinas, a Guiné conseguiu controlar a epidemia e prevenir a sua propagação através das fronteiras", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, no comunicado .

A OMS afirma ter ajudado a enviar cerca de 24.000 doses de vacinas contra o ebola e apoiado a vacinação de quase 11.000 pessoas de alto risco, incluindo mais de 2.800 profissionais de saúde da linha de frente.

bm/mrb/blb/pc/eg/gf/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos