Mercado abrirá em 8 h 44 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,91
    +0,53 (+0,84%)
     
  • OURO

    1.772,40
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    54.981,43
    -1.825,77 (-3,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,05
    -63,90 (-4,92%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.105,73
    -0,42 (-0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.124,40
    -560,97 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    13.916,00
    +18,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6897
    +0,0140 (+0,21%)
     

Guilherme Benchimol vai deixar presidência da XP

ISABELA BOLZANI
·3 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO - SP - 15.05.2017 -  Guilherme Benchimol, presidente da XP, corretora que teve parte vendida ao Itau.  . (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO - SP - 15.05.2017 - Guilherme Benchimol, presidente da XP, corretora que teve parte vendida ao Itau. . (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Bfundador da XP, Guilherme Benchimol, só ficará na presidência da companhia até 12 de maio. Em seu lugar, entra Thiago Maffra, atual diretor-executivo de tecnologia da XP.

Benchimol passará a exercer a função de presidente-executivo do conselho de administração da XP.

Em nota, a XP afirmou que a nova posição de Benchimol servirá para que o empresário possa focar toda a sua atenção no crescimento, desenvolvimento e expansão de longo prazo da companhia.

Thiago Maffra ingressou na XP em 2015 e liderou a transformação digital da empresa nos últimos três anos. O executivo iniciou a sua carreira na mesa de operações e passou a focar sua atuação no setor de tecnologia após seu MBA pela Columbia Business School, nos Estados Unidos.

Em carta aberta, Benchimol afirmou que, como fundador e sócio majoritário da XP, tomou a decisão de dedicar a maior parte de seu tempo e energia ao crescimento estratégico da companhia e às principais iniciativas de inovação, expansão, parcerias e aquisições da empresa.

"Estamos ainda no início da nossa trajetória e assim como um organismo vivo, é importante nos mantermos em constante evolução. Afinal, as habilidades e prioridades que nos trouxeram até aqui, podem não ser as mesmas que nos levarão para o futuro que queremos construir", afirmou.

Ainda segundo Benchimol, Maffra foi escolhido com unanimidade pela diretoria da XP. "Tenho certeza que ele é [...] a pessoa certa para conduzir a empresa para outro nível de escala e impacto no mercado financeiro brasileiro", disse o fundador da XP.

Maffra foi o responsável por liderar a transformação digital que a XP vem fazendo ao longo dos últimos anos e seu objetivo agora, como presidente da companhia, será o de acelerar este processo.

No quarta-feira (10) a XP anunciou o lançamento do seu cartão de crédito. Inicialmente, o produto será voltado para clientes com investimentos iguais ou superiores a R$ 50 mil, oferecerá juros inferiores à da média do mercado, não terá anuidade e contará com Investback.

O Investback, segundo a XP, tem um formato parecido com os modelos de pontuação e “cashback” mas, em vez de devolver pontos ou dinheiro para o consumidor, a parcela é diretamente investida em um fundo de investimentos que tem retorno de 99,5% do CDI (certificado de depósito interbancário, referência de retorno para investimentos).

Segundo a XP, todas as compras feitas com o cartão terão um Investback de 1% do valor transacionado. Caso as compras sejam feitas nas 25 lojas parcerias por meio do marketplace da companhia, o Investback tem um valor adicional entre 2% e 10% da transação.

A média de juros cobrados pelo rotativo de cartão da XP será de 5,9% ao mês –a média do mercado, segundo os últimos dados do Banco Central, ficou em 12,9% ao mês. No parcelado do cartão, os juros cobrados pela XP serão de 3,9% ao mês –contra 8,3% ao mês do sistema financeiro.

O anúncio marcou a entrada da XP no mercado de cartões. Para este ano, ainda são previstos os lançamentos da conta digital, da função débito e outras funcionalidades. ​