Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,82
    +1,76 (+4,09%)
     
  • OURO

    1.805,40
    -32,40 (-1,76%)
     
  • BTC-USD

    18.953,14
    +501,18 (+2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    375,98
    +6,23 (+1,69%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.100,00
    +194,75 (+1,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3977
    -0,0426 (-0,66%)
     

Guerra das Vacinas: Hacker que entrou no sistema do STJ atrasou notificação de evento adverso grave

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
At the press conference on July 21, 2020 in Sao Paulo, Brazil , Governor João Doria (PSDB) announces the beginning of the testing of the Chinese vaccine CORONAVAC in Brazilian volunteers at Hospital das Clínicas? SP. 20 thousand doses of the vaccine were destined for the Butantã Institute to fight the pandemic of the New Coronavirus (Covid19), according to the Government of São Paulo the forecast to make the vaccine available to the population should occur in the beginning of 2021. In the photo, Doria shows the vaccine . (Photo: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
Vacina é desenvolvida pela SinoVac em parceria com o Instituto Butantan (Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)

Representantes da Anvisa alegaram que, com uma invasão no sistema interno do Superior Tribunal de Justiça, teve de reforçar a segurança da agência reguladora. Por isso, a notificação enviada pelo Instituto Butantan sobre um evento adverso grave relacionado a vacina, chegou com atraso no dia 9 de novembro. A morte teria acontecido no dia 29 de outubro.

"Como todos sabem, um ataque cibernético ao governo federal paralisou os serviços e trouxe alerta máximo. Por precaução, a Anvisa suspendeu o serviço de notificação de eventos adversos. Acionamos o plano de contingência e recebemos a notificação no dia 9 de novembro”, explicou Bruno Novaes, um dos funcionários da agência presente na coletiva.

A partir do momento em que a notificação foi recebida, foi tomada a decisão de suspender os estudos relacionados a CoronaVac. Foi o que explicou Gustavo Mendes, gerente-geral de medicamentos da Anvisa

“Com as informações que tínhamos aqui e a reunião que fizemos no comitê, fomos unanimes ao determinarmos a suspensão imediada do estudo. Não poderíamos correr o risco de que mais voluntários fossem vacinados sob o risco de termos efeitos adversos graves semelhantes. Usamos o princípio da precaução”, disse Mendes.

Leia também

Quando a decisão foi tomada, disse Gustavo Mendes, o Instituto Butantan foi notificado. Ele garantiu que a instituição foi alertada antes da divulgação da paralisão para a imprensa. O Butantan havia reclamado por ter conhecido a decisão pelos meios de comunicação.

“Nós fizemos o procedimento correto. Na reunião de hoje, com o grupo técnico do Instituto Butantan, colocamos esse histórico, colocamos nossas dúvidas, nossas incertezas, e ainda mantemos a suspensão porque ainda não temos evidencias e dados de que o estudo pode continuar”, disse Mendes.

A imprensa divulgou nesta terça-feira, 10, o laudo do Instituto Médico Legal de que o voluntário envolvido cometeu suicídio. A Anvisa alega que não tinha conhecimento.