Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,42
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.807,20
    +7,50 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    39.718,30
    +389,15 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.984,75
    -26,75 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0595
    -0,0489 (-0,80%)
     

Guedes volta a se reunir com empresários para discutir reforma tributária

·1 minuto de leitura
Ministro Paulo Guedes

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniu nesta sexta-feira com empresários, em São Paulo, em meio às discussões para a reforma do Imposto de Renda (IR).

O encontro incluiu João Appolinário, da Polishop; Nabil Sahyoun, da Associação de Lojistas de Shopping Centers (Alshop); Vander Giordano, da Multiplan; e Rafael Furlanetti, da XP, além do secretário especial da Receita Federal, José Tostes, e o assessor especial do ministro Guilherme Afif Domingos.

Segundo Sahyoun, da Alshop, os empresários aproveitaram o encontro para levar ao ministro uma pauta mais ampla de reivindicações sobre aspectos tributários, como tributação cumulativa de PIS/Cofins, e mudanças legislativas para maior padronização de impostos regionais, como ICMS e ISS.

"Além disso, são necessários ajustes adicionais para diminuir a oneração exagerada da folha de pagamentos", disse Sahyoun à Reuters por telefone.

As demandas foram apresentadas a Guedes por meio de um documento intitulado "Simplifica Já", que o ministro teria prometido estudar no âmbito do governo federal.

No fim da semana passada, Guedes já havia tido encontro com empresários, no qual assegurou que eventuais distorções da reforma tributária seriam corrigidas.

O parecer da reforma do IR apresentado na terça-feira prevê redução na tributação das empresas, mas mantém alíquota de 20% sobre dividendos.

De acordo com Sahyoun, a maioria dos empresários concorda com a cobrança de IR sobre dividendos.

(Reportagem adicional de Camila Moreir)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos