Mercado abrirá em 8 h 10 min
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,29
    +0,07 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.812,00
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    16.909,97
    -240,18 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,79
    -5,36 (-1,32%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.537,66
    -198,78 (-1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.711,37
    -514,71 (-1,82%)
     
  • NASDAQ

    12.017,75
    -45,00 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4646
    -0,0008 (-0,01%)
     

Guedes sobre governo Biden: “Vai acabar de forma desastrosa”

Paulo Guedes
Ministro se mantém confiante com atuação do Banco Central do Brasil

(SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

  • Paulo Guedes disse que governo norte-americano "vai acabar de forma desastrosa"

  • Motivo estaria relacionado à política monetária de Joe Biden

  • Ministro comentava a atuação dos bancos centrais diante da inflação global

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou os bancos centrais do mundo inteiro pela má condução diante da inflação global. Segundo ele, as entidades estão “dormindo no volante”.

Leia também:

Em entrevista ao Canal Livre, da TV Bandeirantes, Guedes apontou que o cenário não é diferente no caso do Banco Central Americano, que estaria “atuando com retardamento”. Ele ainda destacou a atuação do presidente norte-americano, Joe Biden, e disse que a política monetária aplicada fará com que o governo vizinho acabe “de forma desastrosa”.

Com relação ao Brasil, Guedes se mostrou tranquilo. O ministro disse que o Banco Central, comandado por Roberto Campos Neto, “acordou primeiro” do que o restante das autoridades monetárias mundiais.

“Confio muito no Roberto Campos e acho que ele se move mais rápido do que os outros”, comentou. As informações são do InfoMoney.