Mercado fechado

Guedes: Estamos estudando um imposto sobre gigantes digitais e e-commerce

Juliano Passaro
Guedes: Estamos estudando um imposto sobre gigantes digitais e e-commerce

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, em entrevista coletiva realizada em Davos, na Suíça, nesta quinta-feira (23), que o governo está estudando um imposto sobre grandes empresas digitais e comércio eletrônico. O Suno Notícias está no Fórum Econômico Mundial cobrindo o evento de perto.

Guedes afirmou que nos impostos sobre consumo o governo irá bater o martelo em até 20 dias. De acordo com ele, a proposta da reforma tributária é de simplificação, redução, e substituição tributária.

"Estamos com problema de déficit, precisamos arrecadar mais, mas não vamos aumentar impostos. Se fosse por mim eu reduziria. Por isso vamos simplificar. Muitos impostos deixam o Brasil pouco competitivo. Nós queremos ter bases de incidência. Quanto mais bases de incidência, o imposto fica muito alto. Por isso vamos aumentar as bases. Para reduzir as alíquotas e arrecadar a mesma coisa”, afirmou o ministro.

Avanços do Brasil segundo Guedes

Segundo Guedes, os resultados que o Brasil obteve em 2019 foram extraordinários. "O acordo Mercosul-UE, o início do acesso na OCDE, o protocolo de compras governamentais. Hoje estamos celebrando o bom funcionamento da democracia brasileira. O resultado é que as reformas estão avançando. O Brasil se tornou a nova fronteira do investimento do mundo”, afirmou o ministro.

Veja também: Davos: Guedes diz que governo busca desenvolver indústria

Além disso, o ministro da Economia afirmou que o governo conseguiu acelerar o ritmo de desindustrialização do Brasil com juros altos demais e câmbio baixo. "Agora estamos mudando esse cenário: juros baixos e câmbio alto. Tanto que não fomos alvo de retaliações sobre manipulação de câmbio por parte dos EUA”, disse Guedes.

Reformas

O ministro da Economia aproveitou também para falar sobre as reformas que estão na agenda. "Havia um certo cepticismo sobre a capacidade de realizar as reformas, por causa do congresso, etc. Mais impressionante do que a amplitude da agenda, foi a capacidade de realizar os feitos”, disse Guedes.