Mercado abrirá em 1 h 3 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,15
    +0,87 (+1,33%)
     
  • OURO

    1.833,40
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    56.442,75
    +1.117,65 (+2,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.531,79
    +1.289,11 (+531,20%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.990,38
    +42,39 (+0,61%)
     
  • HANG SENG

    28.231,04
    +217,23 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.269,75
    -76,25 (-0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3510
    +0,0056 (+0,09%)
     

Guedes diz que sensação de reconhecimento o mantém no cargo

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira que apesar de já ter ouvido conselhos para deixar o posto ocupado no governo, a sensação de missão, reconhecimento e obrigação é o que o mantém no cargo "com muita resiliência".

"Não falta gente que diz: 'Olha, sai logo, está cansado, está difícil, custo está alto. Governo não está bem'. E não é o que eu vejo", disse Guedes em participação em audiência pública de um conjunto de comissões da Câmara dos Deputados.

Ele também afirmou que seu trabalho é criticado "por dentro, por fora, pelo lado".

"A gente apanha dentro do próprio governo, apanha fora, e é normal, a democracia é isso. Tem ministro que quer gastar mais, tem ministro que quer gastar diferente, têm esses choques políticos que às vezes implicam em vetos onde você quer ajudar, mas não pode ser daquela forma", complementou.

(Por Gabriel Ponte)