Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.692,61
    +1.016,96 (+3,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Guedes diz que pensa no ambiente em longo prazo, mas energia é preocupação imediata

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  20-05-2021 - O ministro da Economia Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 20-05-2021 - O ministro da Economia Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Ao comentar o possível risco de racionamento no país, o ministro Paulo Guedes (Economia) disse nesta sexta-feira (25) que se preocupa com o meio ambiente "a longo prazo", mas que a curto prazo a prioridade deve ser o abastecimento de energia.

"Pensando a longo prazo, eu sou sempre verde, pensando a curto prazo, eu sou sempre preocupado com energia. A longo prazo estou preocupado com o verde, com preservação do meio ambiente, com tudo isso. Mas a curto prazo você não pode também dar um apagão no país e faltar comida. No meio de uma pandemia, se faltar energia, faltar isso tudo, é uma crise terrível", disse.

A fala do ministro ocorreu durante videoconferência na Comissão Temporária da Covid no Senado. Guedes relatava que no ano passado participou de uma reunião entre o Ministério do Meio Ambiente e o de Minas e Energia na qual se discutia o bloqueio de um trecho do Rio Xingu para criar mais energia, o que prejudica o meio ambiente, ou se manteria o percurso natural das águas do manancial.

"Eu acabei não seguindo nas reuniões, mas a conclusão, na época, foi um voto possivelmente favorável à preservação do meio ambiente e, apesar de a gente ser tão criticado por meio ambiente, o voto prevalecente foi na direção de proteger o meio ambiente", contou.

Guedes afirmou que o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) garantiu que não haverá racionamento neste ano.

"É sério o problema, mas nós já vamos levantar as bandeiras agora. A inflação sobe um pouco agora; a gente espera que o ano que vem já tenha normalizado tudo, com a garantia do nosso ministro Bento de que não será necessário chegar à situação do racionamento"

Nesta semana, Albuquerque disse que o governo não trabalha com a hipótese de racionamento, pois o setor elétrico está em monitoramento 24 horas por dia.

Durante audiência na Câmara, ele citou que foram adotadas "medidas para que nós não percamos o controle do sistema, não tenhamos risco de interrupção do fornecimento de energia nos horários de pico de demanda; não queremos chegar em 2022 com uma forte dependência do período úmido".

No entanto, o governo estuda uma minuta de MP (medida provisória) que dá poderes a grupo interministerial para decidir sobre vazão de rios e abre espaço para racionamento.

O texto, obtida pelo jornal Folha de S.Paulo, prevê que, até o final do ano, um grupo de órgãos governamentais tenha poderes para, inclusive, contrariar decisões das agências no que se refere às políticas de restrição de vazão dos rios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos