Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.993,87
    +45,79 (+0,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Guedes colocou equipe à disposição e suas opiniões serão consideradas pela transição, diz Nelson Barbosa

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministro da Economia, Paulo Guedes, colocou sua equipe à disposição do governo eleito e reuniões técnicas com a pasta serão feitas a partir de agora, disse nesta quinta-feira o ex-ministro Nelson Barbosa, um dos membros da coordenação de economia da transição de governo.

Barbosa e o economista Guilherme Mello, também membro da coordenação do grupo técnico da transição, fizeram nesta quinta a primeira reunião com Guedes. Segundo eles, novas reuniões serão feitas com o ministro e com grupos setoriais da pasta para levantar os dados necessários para a transição.

“As informações que o ministro apresentou e as opiniões que o ministro deu serão levadas em consideração pela transição”, disse, ressaltando que as sugestões do ministro fazem parte de um diálogo sigiloso.

De acordo com o ex-ministro da Fazenda do governo Dilma Rousseff, serão organizados encontros com Receita Federal, Tesouro Nacional e Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

“Em toda transição você faz um mapeamento (de riscos fiscais), tanto que no Orçamento é encaminhado um mapa de riscos fiscais, a lei exige isso, e nós queremos saber as informações da PGFN, entender mais o detalhamento”, disse.

Em discursos públicos nos últimos dias, Guedes tem feito uma série de críticas ao que classifica como falsas narrativas sobre o legado de sua gestão, com reclamações sobre análises de economistas, organismos internacionais e veículos de imprensa, além de fazer comentários duros relacionados ao governo eleito.

Na última sexta-feira, o ministro sugeriu que o debate sobre um conflito entre necessidades sociais e estabilidade fiscal no governo eleito revela incapacidade técnica.

Guedes também fez críticas à PEC de Transição e disse que qualquer recuo no plano econômico implementado pelo atual governo será um erro. Ele afirmou ainda que o uso de mentiras é válido “para ganhar eleição". "Mas para com essa conversa, já ganhou, cala a boca, vai trabalhar, vai construir um negócio melhor", disse.

Barbosa disse que o encontro desta quinta com Guedes “foi uma ótima reunião”.

Em relação à PEC, afirmou que a negociação está sendo feita inicialmente no Congresso para que, após as definições, a área técnica faça suas avaliações sobre o Orçamento.

Em meio a cobranças no meio político para que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva Indique seu ministro da Fazenda, Barbosa foi evasivo ao ser perguntado sobre o tema.

“O presidente Lula vai decidir isso quando ele achar necessário”, disse.