Mercado abrirá em 5 h 16 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,62
    +1,12 (+1,82%)
     
  • OURO

    1.755,40
    +26,60 (+1,54%)
     
  • BTC-USD

    46.144,45
    +1.404,51 (+3,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    921,95
    -11,19 (-1,20%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    29.466,85
    +486,64 (+1,68%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.117,00
    +206,00 (+1,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7609
    +0,0026 (+0,04%)
     

Guedes cancela em cima da hora participação em evento do Fórum Econômico Mundial

FÁBIO PUPO
·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.12.2020 - O ministro da Economia, Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.12.2020 - O ministro da Economia, Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, cancelou de última hora sua participação nesta sexta-feira (29) em evento do Fórum Econômico Mundial.

A fala estava prevista desde a semana passada e estava na agenda de Guedes, divulgada na véspera. De acordo com o Ministério da Economia, a participação foi cancelada por "assuntos internos".

As declarações do ministro seriam dadas de forma virtual no painel "Reparando o sistema de comércio internacional", que analisou possíveis respostas de indústrias e governos para tornar mais resiliente o comércio global após o choque de 2020.

A OMC (Organização mundial do Comércio) estima que exportações e importações entre países sofreram uma retração de 9% no ano passado devido à pandemia de Covid-19 e a tensões geopolíticas.

Sem Guedes, participaram do debate Elizabeth Truss, secretária de Comércio Exterior do Reino Unido; Sigrid Kaag, ministra do Comércio Exterior da Holanda; e Stefan Oschmann, presidente-executivo da empresa alemã do ramo químico e farmacêutico Merck.

Os participantes analisaram que o mundo pós-chegada da Covid continua enfrentando desafios e defenderam uma união global de países contra o protecionismo, agenda liberal defendida por Guedes.

O evento promovido pelo Fórum Econômico Mundial recebeu o nome de Davos Agenda e acontece de forma virtual como espécie de preparação para a reunião anual sendo planejada para maio, em Cingapura.

O encontro desta semana contou com a participação de diferentes líderes globais, que deram declarações de repercussão global. O presidente da China, Xi Jinping, discursou na abertura defendendo que o mundo abandone o que chamou de mentalidade de Guerra Fria.

Angela Merkel, chanceler da Alemanha, defendeu que o mundo não pode ser obrigado a ficar entre dois blocos (americanos e chineses).

Também participaram do evento Emmanuel Macron, presidente da França; Vladimir Putin, presidente da Rússia; Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel; Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia; Alberto Fernández, presidente da Argentina; e diversos outros chefes de estado.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não estava na lista de participantes. O principal representante do governo brasileiro foi o vice-presidente Hamilton Mourão, que falou em painel sobre o financiamento da bioeconomia da Amazônia.

Guedes era um dos três ministros previstos na programação. Participaram a ministra Tereza Cristina (Agricultura), que falou sobre a inovação na produção de alimentos; e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), sobre geopolítica.

Também esteve no encontro o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que falou no painel "Repensando cidades para um futuro pós-Covid".