Mercado fechará em 2 h 34 min

Guarda Nacional será enviada ao Capitólio após invasão; TVs dizem que há policiais feridos

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Police gather as Trump supporters clash with security forces as they storm the US Capitol in Washington, DC on January 6, 2021. - Thousands of Trump supporters, fueled by his spurious claims of voter fraud, flooded the nation's capital protesting the expected certification of Joe Biden's White House victory by the US Congress. (Photo by Brendan SMIALOWSKI / AFP) (Photo by BRENDAN SMIALOWSKI/AFP via Getty Images)
Ao todo, 1,1 mil agentes irão atuar nos protestos a favor do presidente Donald Trump. (Foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP via Getty Images)

Toda a Guarda Nacional de Washington será enviada ao Capitólio nas próximas horas após a invasão ao prédio do Capitólio, segundo o jornal Washington Post. Ao todo, 1.100 agentes irão atuar nos protestos a favor do presidente Donald Trump que acontecem no Capitólio nesta quarta-feira (6).

Apiadores de Trump, insuflados pelo próprio presidente, marcharam em direção ao Congresso e invadiram setores do prédio para evitar que Senado certifique a vitória de Joe Biden no Colégio Eleitoral para assumir a presidência dos EUA no dia 20 de janeiro.

O envio das forças foi pedido pela prefeita democrata Muriel E. Bowser, após a invasão do Congresso norte-americano e ações violentas. Uma manifestante levou um tiro no peito e foi socorrida em estado crítico.

Acompanhe os desdobramentos da invasão ao Capitólio:

Muriel decretou um toque de recolher que impede qualquer circulação de pessoas nas ruas da cidade a partir das 18h no horário local - 20h no horário de Brasília — até às 6h de quinta-feira (7). Também a pedido da prefeita, o estado de Virgínia irá enviar 200 homens para Washington.

A princípio, o Departamento de Defesa norte-americano havia resistido a enviar a Guarda Nacional, sugerindo apenas um reforço no policiamento, como uma forma de evitar o envolvimento na política.

Trump supporters gather outside the Capitol, Wednesday, Jan. 6, 2021, in Washington. As Congress prepares to affirm President-elect Joe Biden's victory, thousands of people have gathered to show their support for President Donald Trump and his claims of election fraud. (AP Photo/Jose Luis Magana)
Apoiadores de Trump invadiram as dependências do Capitólio, enquanto o Congresso se preparava para afirmar a vitória do presidente eleito Joe Biden. (Foto: AP Photo / Jose Luis Magana)

Vários policiais ficaram feridos durante a invasão do Capitólio, relatou a CNN americana, sem informar o número exato. Ao menos um deles foi encaminhado a um hospital próximo.

Na tentativa de liberar o prédio, a polícia do Capitólio está usando granadas de fumaça na área onde funciona o Senado. As janelas do lado oeste da Casa foram quebradas e centenas de agentes estão se reunindo no primeiro andar do prédio, onde os manifestantes estavam concentrados.

Segundo informações da GloboNews, uma ala do Capitólio teve de ser evacuada por suspeita de bomba. Imagens registradas por jornalistas norte-americanos e correspondentes brasileiros mostram dezenas de pessoas inicialmente tentando invadir o prédio, e depois de fato nas salas interiores do Capitólio.

Os senadores foram orientados a retornarem para seus escritórios, enquanto parte da imprensa e servidores estão sendo constantemente deslocados pelos corredores do Capitólio. A polícia do Congresso também orientou os senadores a colocarem suas máscaras de gás, que cada um possui em seu gabinete, como forma de prevenção.

Mike Pence, vice-presidente dos EUA e presidente do Congresso, que seria responsável por comandar a sessão que reconhecerá Biden como presidente eleito, foi retirado às pressas do prédio do Capitólio.

APÓS COBRAR “MARCHA” ATÉ O CAPITÓRLIO, TRUMP PEDE PAZ A APOIADORES

Horas após inflamar seus seguidores, reunidos no Parque Elipse, ao lado da Casa Branca, em um discurso no qual voltou a questionar a legitimidade das eleições e cobrar uma marcha até o Congresso, Donald Trump postou um pedido para que seus apoiadores não entrem em confronto com a polícia do Capitólio.

Nas redes sociais, Trump também atacou a decisão de Pence de não impedir a certificação da vitória de Biden.

“A Constituição me impede de reivindicar autoridade para determinar quais votos eleitorais devem ser contados e quais não devem”, afirmou Pence em nota divulgada enquanto a sessão conjunta do Congresso começava a certificar os votos do Colégio Eleitoral.

A declaração foi divulgada depois que Trump pediu a Pence em um comício em Washington para se recusar a certificar os votos. Donald Trump criticou o vice logo após sua manifestação.

"Mike Pence não teve a coragem de fazer o que deveria ter sido feito para proteger nosso país e nossa Constituição", tuitou Trump. "Os EUA exigem a verdade!".

com informações da Folhapress