Mercado abrirá em 3 mins
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,94
    -1,45 (-3,88%)
     
  • OURO

    1.875,90
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    13.103,10
    -60,29 (-0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,96
    -13,73 (-5,03%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.573,80
    -9,00 (-0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.191,75
    +59,00 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7117
    -0,0227 (-0,34%)
     

Grupos do Facebook registraram 120 milhões de usuários brasileiros em agosto

Felipe Demartini
·3 minutos de leitura

120 milhões de brasileiros participaram de grupos ativos no Facebook durante o mês de agosto de 2020. Os dados são da própria rede social, que demonstra um aumento significativo no engajamento com esses espaços e crescimento na criação deles durante a pandemia do novo coronavírus, como forma de garantir que os usuários se mantenham conectados e socializando ao longo do isolamento — um fator que também se traduz em números.

Segundo o Facebook, foram 380 milhões de pessoas ativas em grupos no Facebook na América Latina ao longo do último mês, com a região contando com mais de 19 milhões de comunidades desse tipo em pleno funcionamento. Em todo o globo, a ideia é que a funcionalidade se tornou parte integrante da experiência com a rede social, com os usuários globais sendo membros de pelo menos cinco espaços desse tipo.

Os grupos mais populares são os de animais, comida e culinária, e paternidade, com 87% dos participantes de uma pesquisa encomendada pelo Facebook afirmando que os grupos são a comunidade mais importante da qual participam. Outros 78% afirmaram que o recurso ganhou importância especial durante a pandemia como uma forma de socialização e, também, para se manterem engajados em conversas e compartilhamento de conhecimento durante o período de isolamento social.

Mais do que isso, os grupos também serviram como ponto de apoio para as pessoas atingidas por esse mesmo estado. 94% dos participantes de grupos no Facebook afirmaram terem prestado suporte a alguém durante a pandemia por meio das comunidades, enquanto 88% dos respondentes afirmaram ter recebido essa ajuda através dos espaços na rede social.

Os resultados da pesquisa foram apresentados durante um evento online, realizado nesta semana, no qual o Facebook também anunciou novos recursos para os grupos. Comandos interativos permitirão que os usuários façam postagens e iniciem conversas de forma colaborativa, como é o caso de um recurso de perguntas e respostas que pode ser configurado pelos administradores, enquanto um bate-papo será integrado às comunidades e permitirão que os membros conversem entre si em tempo real, quase como nos bons e velhos chats que marcaram os primórdios da internet.

<em>Grupos no Facebook ganharam importância especial, e maior fluxo de usuários, durante a pandemia. Espaços estão prestes a ganharem mais recursos para iniciar conversas e funcionalidades de organização e moderação (Imagem: Divulgação/Facebook)</em>
Grupos no Facebook ganharam importância especial, e maior fluxo de usuários, durante a pandemia. Espaços estão prestes a ganharem mais recursos para iniciar conversas e funcionalidades de organização e moderação (Imagem: Divulgação/Facebook)

Perfis mais personalizados permitirão que os usuários compartilhem informações relevantes para a comunidade e usem até uma foto de perfil personalizada para um grupo, enquanto um campo de “conversas relacionadas” ajudará os usuários a encontrarem papos relevantes e novos grupos públicos de acordo com os próprios interesses — também será possível comentar nestas postagens sem fazer parte do espaço, desde que seus administradores permitam esse tipo de participação.

Por fim, chegam mais recursos de organização, como um filtro que permite bloquear palavras ou determinados tipos de publicações de acordo com o tempo de permanência de um usuário no grupo ou o uso de hashtags para organização em assuntos, com os tópicos também podendo ser fixados. Os espaços também podem ser monetizados com ferramentas de publicidade, enquanto um curso online de criação, expansão, moderação e apoio aos membros também será lançado pelo Facebook.

Os testes das novas funcionalidades começam nos próximos meses e, segundo o Facebook, os administradores terão a opção de aplicar esses novos recursos ou não, de acordo com critérios próprios e o perfil de cada espaço de discussão.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: