Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.664,35
    -786,85 (-0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.102,55
    -339,66 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,33
    +0,10 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.671,30
    +2,70 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    19.486,49
    -86,39 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,03
    -0,95 (-0,21%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    -78,57 (-2,11%)
     
  • DOW JONES

    29.225,61
    -458,13 (-1,54%)
     
  • FTSE

    6.881,59
    -123,80 (-1,77%)
     
  • HANG SENG

    17.165,93
    +0,06 (+0,00%)
     
  • NIKKEI

    26.048,64
    -373,41 (-1,41%)
     
  • NASDAQ

    11.235,50
    +7,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3059
    +0,0079 (+0,15%)
     

Grupo Urca investirá R$500 mi até fim de 2023 para ampliar produção de biometano

Usina de geração de energia com resíduos sólidos em Vancouver; tecnologia já é dominada em outros países, mas ainda busca espaço no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo Urca Energia anunciou nesta terça-feira investimentos de 500 milhões de reais até o fim de 2023 com o objetivo de expandir sua produção de biometano e capacidade de geração de energia elétrica renovável.

Os aportes preveem a ampliação da planta de biometano de Seropédica (RJ), a maior do país, de uma produção de 120 mil metros cúbicos por dia para 200 mil m³/dia até final do próximo ano.

Em paralelo, duas térmicas a biogás, nas cidades fluminenses Nova Iguaçu e São Gonçalo, serão transformadas em plantas de biometano.

Com o investimento, as três usinas gerarão 400 mil m³ de biometano por dia, consolidando a liderança nacional do grupo na produção do combustível.

O biometano é um gás renovável, obtido pelo refinamento e processamento do biogás, que serve de substituto de gás natural, diesel ou gás liquefeito de petróleo (GLP).

O plano de investimentos da Urca contempla ainda recursos para uma nova planta de produção de gás carbônico (CO2) verde a partir de biometano proveniente de resíduos de aterro sanitário. O CO2 verde será "food grade", com padrão de pureza de 99,9%, voltado especialmente para a indústria de bebidas e alimentos.

O grupo também investirá em projetos para ampliar sua capacidade de geração de energia elétrica renovável, atualmente em 40 megawatts (MW), e em melhoria da logística de sua associada Urca Gás.

Atualmente, a Urca Energia possui dez plantas de biogás e biometano, além de 47 biodigestores em operação em unidade de geração de energia elétrica renovável a partir de dejetos de suínos em Mato Grosso.

"Mesmo com os novos investimentos, continuamos observando de perto o mercado em busca de oportunidades que aliem bons negócios e impacto positivo ao meio-ambiente", disse em nota o diretor-executivo do Grupo Urca Energia e CEO da Gás Verde, Marcel Jorand.

"Por isso, estamos também mirando na expansão da operação das nossas associadas Gás Verde e EVA Energia em outros Estados", acrescentou.

O grupo prevê encerrar 2023 com um faturamento de 1 bilhão de reais, o dobro das receitas estimadas para este ano.

(Por Letícia Fucuchima)