Mercado abrirá em 2 h 38 min

Grupo de risco de coronavírus em SP ainda não inclui crianças, diz David Uip

André Guilherme Vieira

O governo de São Paulo não adotará de imediato as novas diretivas da Organização Mundial da Saúde, que recomenda a realização de testes em massa O governo de São Paulo não adotará de imediato as novas diretivas da Organização Mundial da Saúde (OMS) que recomenda a realização de testes em massa para verificar a infecção pelo coronavírus. E por ora também não considera que crianças podem integrar o grupo de risco para a doença, apesar do informe sobre mortes divulgado pela OMS.

“Tudo que foi publicado agora mostra que o grupo mais sensível é de idosos com mais de 60 anos”, disse o infectologista David Uip, coordenador do comitê para crise do coronavírus criado pelo governo de São Paulo. Ele participou de entrevista coletiva com o governador João Doria (PSDB) e o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

“Temos que ter calma na interpretação desse dado [da OMS]. Qualquer pandemia afeta toda a sociedade e o fato é que tudo indica, até agora, que o grupo de risco ainda não inclui crianças”, disse Uip.

Entrevista coletiva sobre novas medidas adotadas pelo governo de São Paulo sobre coronavírus

Divulgação

Sobre a orientação da OMS de fazer exames em massa, o secretário Germann afirmou que ainda é preciso compreender como se comporta o vírus.

“Temos de entender que temos um aprendizado constante para compreender como debelar essa doença. Ela vai durar um tempo, vamos ter perdas, não se iludam de que não teremos perdas”, reconheceu o secretário.

Doria reiterou a recomendação de que crianças não fiquem com os avós. Pessoas acima de 55 anos são consideradas grupo de alto risco para a doença, que leva a um quadro grave de insuficiência respiratória. Indagado sobre medidas do governo para evitar que crianças fiquem com os avós, o governador disse que isso está sendo estudado.

Doria também disse que medidas para proteger a economia e os empregos durante a crise da covid-19 serão anunciadas na semana que vem. No entanto, o governador não adiantou quais seriam essas medidas.