Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.137,43
    -977,92 (-1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Grupo peruano Aenza, controlado pelo IG4, vai focar em infraestrutura e fará spin off

·2 minuto de leitura

Por Tatiana Bautzer

SÃO PAULO (Reuters) - O conglomerado peruano Aenza, agora sob controle do fundo de private equity IG4, esta preparando uma reestruturação para concentrar-se na operação de ativos de infraestrutura, afirmou o executivo do fundo Paulo Mattos.

O presidente-executivo e managing partner da IG4 disse em entrevista à Reuters que a Aenza, antes conhecida como Grana Y Montero, está preparando o spin-off de sua construtora, junto com a divisão imobiliária e de óleo e gás, para concentrar as operações em ativos de infraestrutura como estradas ou aeroportos.

Para financiar a expansão da Aenza para operar em outros países da América Latina, a empresa contratou o banco Santander para assessora-la numa emissão de cerca de 400 milhões de dólares em bonus.

O grupo também concedeu mandato ao Lazard e Santander para iniciar o processo de spin off da área de construção e avaliar sua possível venda, disse Mattos.

"Queremos que a Aenza seja focada em operações de infraestrutura, seja parecida com a CCR nos países de língua espanhola da América Latina", disse Mattos. Para isso, a companhia deve abrir escritórios em outros países além do Peru, onde fica a maior parte de suas operações, incluindo um em Miami, de onde avaliará oportunidades de expansão na região.

Além da emissão de dívida, é possível também que a Aenza faça uma oferta de ações dependendo da necessidade de capital para expansão.

No início da semana, o fundo IG4 concluiu a troca dos executivos da Aenza com a eleição de um novo conselho. O sócio da IG4 e ex-executivo da Telefónica Juan Revilla é presidente do conselho e André Mastruobonno, especialista em reestruturação do IG4 que já atuou na mesma área para o Carlyle e GP Investimentos, é o novo presidente-executivo da Aenza.

Outros membros do conselho indicados pelo IG4 são Gustavo Buffara, Pablo Kühlenthal e Gema Garrido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos