Mercado abrirá em 39 mins
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,27
    -0,08 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.783,50
    -9,60 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    54.985,95
    -29,73 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.281,01
    +18,05 (+1,43%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.905,62
    +10,33 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.894,25
    -25,00 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6641
    -0,0379 (-0,57%)
     

Grupo Inditex (Zara) tem queda de 70% no lucro em 2020 devido à pandemia

·1 minuto de leitura
Clientes diante de loja Zara em Viena, em 8 de fevereiro de 2021

O grupo espanhol Inditex, proprietário da marca Zara, registrou lucro líquido em 2020 de 1,1 bilhão de euros (US$ 1,32 bilhão), o que significa uma queda de 70%, consequência do fechamento de lojas provocado pela pandemia de covid-19.

As vendas do grupo caíram 28%, apesar do aumento de 7% nas vendas pela internet em 2020 na comparação com o ano anterior, afirma a Inditex em um comunicado divulgado nesta quarta-feira.

A empresa é proprietária de oito marcas, incluindo Bershka, Oysho, Stradivarius e Pull&Bear.

No primeiro trimestre do ano fiscal (fevereiro-abril), o grupo registrou prejuízo líquido de 409 milhões de euros, o primeiro em 20 anos.

A Inditex, no entanto, terminou o ano com um fluxo de caixa de 7,5 bilhões de euros, enquanto as reservas caíram 9%.

O início de 2021 foi marcado pelo fechamento de mais lojas. No dia 8 de março, 15% das lojas do grupo estavam fechadas, contra apenas 8% em dezembro de 2020, devido às novas medidas de confinamento e restrições na Alemanha, Brasil, Grécia, Portugal e Reino Unido.

A empresa acredita que todas as suas unidades estarão em funcionamento até meados de abril.

A Inditex confirmou que seguirá investindo nas vendas pela internet, com um investimento previsto de € 2,7 bilhões entre 2020 e 2022.

Um valor que supera os 2,5 bilhões de euros investidos nas vendas on-line desde 2012.

Os grandes grupos têxteis foram muito afetados pelas restrições vinculadas à crise de saúde.

A empresa sueca H&M teve queda de 90% do lucro líquido em 2020, enquanto a japonesa Fast Retailing (Uniqlo) sofreu um retrocesso de 44% o lucro no ano fiscal 2019-2020.

emi/abx/me/zm/fp