Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.902,90
    +347,43 (+0,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Grupo Evergrande anuncia que entregou 57.400 imóveis a compradores

·1 min de leitura
Com uma dívida superior a 300 bilhões de dólares, a Evergrande admitiu problemas de liquidez e provocou o temor de uma falência (AFP/Hector RETAMAL)

O endividado grupo imobiliário chinês Evergrande anunciou nesta quarta-feira (3) que entregou 57.400 unidades a compradores entre julho e outubro, em uma tentativa de acalmar os temores sobre sua liquidez e viabilidade.

Nas últimas semanas, o conglomerado virou o foco de atenção por sua dívida elevada e os temores de uma falência, que deixaria empréstimos sem reembolso e imóveis inacabadas para serem entregues aos compradores.

Nesta quarta-feira, a empresa anunciou nas redes sociais que entre julho e outubro concluiu e entregou 57.462 novos imóveis a seus proprietários.

"Garantir a entrega de propriedades é a máxima prioridade do grupo Evergrande", afirmou a empresa em um comunicado.

Recentemente, o grupo anunciou a retomada de 10 obras que estavam paralisadas.

De acordo com o comunicado da Evergrande, as propriedades concluídas correspondem a 184 projetos distintos.

O anúncio provocou uma alta das ações da empresa, de 2,5%, na Bolsa de Hong Kong. Os títulos da Evergrande, no entanto, sofreram grande desvalorização desde janeiro.

Com uma dívida superior a 300 bilhões de dólares, o gigantesco grupo admitiu problemas de liquidez e provocou o temor de uma falência, que poderia ter amplas consequências na segunda maior economia mundial.

bys/rox/oho/dbh/zm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos