Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,12 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,37
    +0,47 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.833,10
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    58.144,70
    -562,56 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,29 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,85 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,42 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.736,25
    +26,50 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3656
    -0,0010 (-0,02%)
     

Grupo Educação Metodista vai pedir recuperação judicial

EDUARDO CUCOLO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Enfrentando uma série de dificuldades financeiras desde 2015, o centenário grupo Educação Metodista se prepara para pedir recuperação judicial. A instituição informou que deu entrada, nesta sexta-feira (9), em um pedido de medida cautelar (preventiva) no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, com o objetivo de elaborar um plano de recuperação e manter suas atividades acadêmicas. A cautelar é um mecanismo legal que garante proteção judicial para que a instituição em dificuldades financeiras possa se reorganizar e apresentar um plano de recuperação. De acordo com o grupo educacional, as instituições metodistas de educação pretendem antecipar parte dos efeitos da recuperação judicial, conservando sua capacidade de operação e oferecendo proteção judicial a todos os seus credores. "Desde 2015, a Educação Metodista vem enfrentando uma redução significativa do número de alunos, o que provocou um forte impacto na receita e o consequente desequilíbrio financeiro", diz a instituição em nota. "A crise das instituições metodistas de educação teve início com a mudança nas regras do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e se acentuou com o cenário econômico de recessão dos últimos anos. A pandemia de Covid-19 agravou a situação." Com a reestruturação de suas instituições de ensino superior e básica, o grupo afirma que busca garantir sua sustentabilidade financeira e preservar a qualidade acadêmico-pedagógica. "Estamos confiantes de que a recuperação judicial poderá restabelecer a Educação Metodista, preservando nossa comunidade acadêmica e assegurando um ensino de qualidade para todos os nossos alunos. Por meio deste processo, também esperamos garantir proteção judicial a todos os nossos credores", afirma Aser Gonçalves Junior, diretor de operações estratégicas da Educação Metodista. A Educação Metodista inaugurou sua primeira unidade no Brasil em 1881, no Rio Grande do Sul. Atualmente, possui 19 mil alunos e 3.000 funcionários, sendo 1.200 docentes, distribuídos em 11 colégios e 6 instituições de ensino superior em três estados (Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais). Raio-X Instituição: Educação Metodista Início das atividades no Brasil: 1881 Funcionários: 3.000, sendo 1.200 docentes Alunos: 19 mil Rede de ensino: 11 colégios e 6 instituições de ensino superior Regiões em que atua: Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais Principais unidades: Universidade Metodista de São Paulo