Mercado abrirá em 1 h 55 min
  • BOVESPA

    110.132,53
    +346,23 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.200,59
    -535,89 (-1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,02
    -0,69 (-1,51%)
     
  • OURO

    1.818,70
    +7,50 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    17.100,37
    -878,80 (-4,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,45
    -37,07 (-10,00%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.358,68
    -32,41 (-0,51%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.194,25
    +42,00 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3334
    -0,0043 (-0,07%)
     

Grupo de açúcar Tereos segue no vermelho apesar de forte resultado operacional

·2 minuto de leitura

PARIS (Reuters) - A produtora francesa de açúcar e etanol Tereos reportou nesta quarta-feira um prejuízo líquido no primeiro semestre da temporada 2020/21, embora o resultado ajustado das principais operações do grupo tenha mais que dobrado no período, apoiado por um aumento nos preços do açúcar na Europa, vendas maiores no Brasil e pela força do mercado de álcool.

A Tereos, segunda maior produtora de açúcar do mundo em termos de volume, tem enfrentado dificuldades com os preços baixos desde o fim das cotas europeias para o açúcar, em 2017, mas os resultados vêm melhorando à medida que as cotações se recuperam.

"A resposta da Tereos ao aumento acentuado na demanda por álcool farmacêutico e ao consumo de açúcar na Europa, o efeito de uma safra muito boa de cana-de-açúcar no Brasil e a recuperação contínua dos preços na Europa compensaram a desaceleração da atividade em mercados afetados pela crise sanitária (do coronavírus)", disse a Tereos.

A cooperativa francesa registrou prejuízo líquido de 6 milhões de euros (7,13 milhões de dólares) no primeiro semestre de 2020/21, versus prejuízo de 21 milhões de euros em igual período do ano anterior, com o lucro líquido no segundo trimestre atingindo 16 milhões de euros.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado do grupo avançou para 237 milhões de euros nos seis meses encerrados em 30 de setembro, ante 111 milhões de euros na comparação anual, também apoiado por ganhos de desempenho.

A crise da Covid-19 afetou a demanda tanto por açúcar quanto por etanol, mas o consumo retornou ao normal, disse a Tereos.

Diversos países europeus impuseram novas medidas restritivas para conter o vírus, mas ainda é cedo para saber se elas terão impacto adicional sobre a demanda em 2020.

(Reportagem de Sybille de La Hamaide)