Mercado abrirá em 2 h 26 min

Centrais sindicais planejam greve geral contra Bolsonaro

Professores e estudantes protestam na Avenida Paulista, em São Paulo, contra os cortes na educação no dia 15 de maio (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

As centrais sindicais estão se mobilizando para realizar uma greve geral contra o governo Bolsonaro para o dia 14 de junho. As informações são do jornal Estado S. Paulo.

A principal reivindicação será a queda da reforma da Previdência, mas o crescente desemprego e a bandeira da educação pública também estarão em pauta.

Leia também

A agenda dos sindicalistas inclui plenárias estaduais para mobilização nacional. Além disso, haverá apoio à União Nacional dos Estudantes no segundo protesto contra os cortes de verba no MInistério da Educação, marcado para o dia 30 de maio.

Nesta quarta-feira (22), dirigentes das principais entidades sindicais do Rio de Janeiro se reúnem com líderes nacionais para mobilizar trabalhadores. Na quinta (23), é a vez do Distrito Federal.

Na segunda-feira (20), dirigentes das centrais, dos trabalhadores de transportes e da UNE conversaram sobre a paralisação do dia 14. A mobilização estudantil de 15 de maio foi vista como positiva e vai dar força para adesão das próximas.

No primeiro ato contra os cortes na educação, mais de 170 cidades do país participaram das manifestações. Os organizadores estimam que 250 mil pessoas foram às ruas contra o governo Bolsonaro.