Greve do gás continua em São Paulo após audiência

A audiência de conciliação entre sindicatos de trabalhadores das distribuidoras de gás em São Paulo, região do ABC e Santos terminou sem solução, no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), na capital paulista, na tarde desta quinta-feira (8). A proposta do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindgás), que representa as distribuidoras, não atendeu a reivindicação de reajuste salarial e participação dos lucros e resultados (PLR) dos trabalhadores. Sem perspectiva de acordo, a greve continua.

Funcionários das cidades de Paulínia, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Presidente Prudente também estão em greve e têm audiência marcada no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15), em Campinas, para a próxima terça-feira (13). A greve começou no interior do Estado no dia 29 de outubro e chegou à capital no início desta semana.

Os trabalhadores das distribuidoras reivindicam 7,39% de reajuste salarial, aumento no valor da cesta básica de R$ 280 para R$ 360 e PLR de 210%. O Sindgás oferece 6% de aumento, R$ 310 de cesta básica e PLR de 160%. O julgamento da questão pode acontecer já na próxima semana, de acordo com o diretor financeiro da Federação do Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo de São Paulo, Claudinei Souza. "Por se tratar de serviço essencial, a juíza responsável pela conciliação afirmou que o julgamento deve acontecer em quatro ou cinco dias", disse.

Presente na reunião desta quinta, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo (Sindminérios) de São José dos Campos e Região, Antonieta de Lima, afirmou que os trabalhadores continuarão seguindo a determinação da Justiça de manter ao menos 30% do contingente de trabalhadores da Grande São Paulo. "Muitas pessoas estão comprando produto para abastecer sua casa por precaução. Isso é desnecessário", afirmou. De acordo com ela, a criação de "estoques pessoais" é o que gerar desabastecimento ou especulação de preços. A Sindigás informou que a Justiça determinou o funcionamento mínimo de 40% da produção e escoamento do produto nas unidades das empresas localizadas no interior do Estado de São Paulo e de 30% do contingente de funcionários das empresas para os sindicatos da Grande São Paulo.

"Fica aquele estigma de que nós estamos prejudicando a população, mas não estamos", comentou Antonieta. "Os revendedores ainda têm estoque, pelo que avaliamos. Até porque há empresas que já fecharam acordo em separado", complementou Souza. A estimativa dos sindicatos é de que aproximadamente 5 mil trabalhadores estejam em greve no Estado e 1.500 só na cidade de São Paulo.

O Sindigás argumenta que os trabalhadores paulistas são os únicos do País a rejeitarem a proposta da entidade. "O Sindigás buscará apoio das autoridades para garantir que os sindicatos cumpram a ordem judicial, de forma garantir o abastecimento do produto. A entidade aguarda que a Justiça tome, com celeridade, a decisão sobre o impasse com os trabalhadores para que a população não seja ainda mais penalizada com a greve", afirma a nota.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2348+0,0006+0,02%
    USDBRL=X
    3,6261-0,0014-0,04%
    EURBRL=X
    0,8918+0,0006+0,07%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    13,12-0,28-2,09%
    PETR4.SA
    3,41-0,13-3,67%
    GOAU4.SA
    8,53+0,12+1,43%
    ITSA4.SA
    2,80+0,08+2,94%
    OIBR4.SA
    3,43-0,10-2,83%
    USIM5.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    19,52+9,52+95,20%
    MWET3.SA
    18,49+8,49+84,90%
    ENMT3.SA
    7,96+1,11+16,20%
    TEKA4.SA
    2,60+0,35+15,56%
    AFLT3.SA
    2,61+0,23+9,66%
    BRGE12.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    0,38-0,16-29,63%
    HBOR1.SA
    3,78-0,92-19,57%
    DTCY3.SA
    0,60-0,13-17,81%
    ALSC1.SA
    1,99-0,31-13,48%
    TXRX4.SA
    1,72-0,13-7,03%
    CTSA4.SA