Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.519,56
    +270,52 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,25
    -612,45 (-1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,59
    +0,13 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.809,40
    +7,90 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    17.162,06
    -93,74 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,11
    -4,14 (-1,02%)
     
  • S&P500

    3.934,38
    -29,13 (-0,73%)
     
  • DOW JONES

    33.476,46
    -305,02 (-0,90%)
     
  • FTSE

    7.476,63
    +4,46 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.900,87
    +450,64 (+2,32%)
     
  • NIKKEI

    27.901,01
    +326,58 (+1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.553,00
    -92,50 (-0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5268
    +0,0262 (+0,48%)
     

Greve de auditores provoca paralisação de caminhões na fronteira

(Photo by Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)
(Photo by Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)
  • Cerca de 800 caminhões estão parados em pontos da fronteira brasileira

  • Sindifisco pede pelo reajuste salarial da categoria dos auditores fiscais

  • Porto de Santos também se encontra em paralisação devido a protestos

Após corte no Orçamento da União para 2022 e do reajuste salarial dado somente a policiais federais, diversas categorias de servidores públicos se mobilizaram para paralisar as atividades.

Dentre elas estão os auditores agropecuários, que nesta quarta-feira (5) decidiram paralisar as atividades em pontos na fronteira.

Em Pacaraima, no estado de Rondônia, cerca de 200 caminhões aguardam a liberação alfandegária, na fronteira com a Venezuela.

Leia também:

A carga contida nesses caminhões inclui alimentos como arroz, feijão, farinha de trigo, açúcar, café e macarrão, além de produtos de limpeza como detergente e sabão em pó, medicamentos, bebidas e matérias primas para indústrias.

Com a greve se estendendo a outras cidades como Manaus e Boa Vista, ao todo, são 800 veículos parados nas fronteiras do país.

Servidores da alfândega também fazem protesto chamado de operação-tartaruga no porto de Santos. A atividade se caracteriza pelo desaceleramento dos procedimentos trabalhistas.

Para tentar atenuar um pouco a situação, o governador de Roraima, Antonio Denarium, se reuniu com representantes do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco) e prestou apoio à causa.

No entanto, George Alex de Sousa, presidente do Sindifisco da regional de Brasília, jogou a responsabilidade de negociação para o presidente. "Situações como essa tendem a se espalhar pelo país e pelas fronteiras, caso o Governo permaneça em silêncio".