Mercado fechará em 5 h 55 min
  • BOVESPA

    98.309,56
    -1.312,02 (-1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.488,65
    -572,96 (-1,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,74
    -2,04 (-1,86%)
     
  • OURO

    1.820,00
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    18.879,29
    -1.207,15 (-6,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    403,86
    -27,61 (-6,40%)
     
  • S&P500

    3.740,42
    -78,41 (-2,05%)
     
  • DOW JONES

    30.445,15
    -584,16 (-1,88%)
     
  • FTSE

    7.131,78
    -180,54 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.393,04
    -411,56 (-1,54%)
     
  • NASDAQ

    11.406,50
    -284,50 (-2,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4682
    +0,0576 (+1,06%)
     

Grandes fundos dos EUA fogem de ações antes da reunião do Fed

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Apesar de muitas previsões confiantes, ninguém sabe o que acontecerá na reunião do Federal Reserve nesta quarta-feira, muito menos qual será o impacto nos mercados. Investidores profissionais não esperam para descobrir.

Particularmente entre os gestores que baseiam suas estratégias em sinais quantitativos, a exposição a ações e outros ativos de risco foram cortados ao mínimo. Semanas de vendas empurraram o posicionamento sistêmico medido pelo Deutsche Bank dois desvios padrão abaixo dos níveis médios em dados a partir de 2010, entre outros exemplos.

Fundos alavancados também foram rápidos, vendendo ações ao ritmo mais rápido já registrado nos dois dias até segunda-feira, segundo dados da corretora Goldman Sachs. Eles saem à medida que a volatilidade implícita dos ativos financeiros atinge níveis não vistos em nenhuma sessão pré-Fed em mais de uma década.

Tudo isso é prova da incerteza sobre a reunião do Fed, onde se espera qualquer coisa entre meio ponto percentual a um ponto completo de aumento na taxa básica de juros. Os preços das ações foram achatados na corrida para a saída, com o S&P 500 caminhando para o pior mês desde a liquidação da pandemia em 2020. A turbulência dos títulos está em toda parte, com os rendimentos dos títulos do Tesouro americano de dois anos atingindo o nível mais alto desde 2007.

“Todo mundo está fugindo para o dinheiro em caixa porque tem medo da inflação descontrolada”, disse Benjamin Dunn, presidente da Alpha Theory Advisors. “Há apocalípticos por aí dizendo que os formuladores de política monetária não podem arquitetar o que precisam fazer para derrubar os preços sem quebrar completamente o mercado de títulos.”

A ansiedade é evidente. Em nota publicada terça-feira, o Goldman disse que as posições vendidas de seus clientes de fundos de hedge subiu “agressivamente” nas duas sessões anteriores, com como fundos negociados em bolsa dominando os fluxos. Um indicador do apetite ao risco que leva em consideração tanto as apostas de alta quanto de baixa - conhecidas como alavancagem bruta - ficou perto das mínimas de cinco anos.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos