Mercado abrirá em 7 h 34 min
  • BOVESPA

    107.937,11
    -1.004,57 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,59
    -708,79 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,64
    +0,33 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.842,50
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    36.087,52
    +109,62 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    821,53
    +10,93 (+1,35%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.113,13
    -475,24 (-1,72%)
     
  • NASDAQ

    14.318,50
    -182,50 (-1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2127
    -0,0160 (-0,26%)
     

Grandes bancos devem mostrar melhora do crédito com recuperação

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O crescimento do crédito do qual os grandes bancos americanos se esquivaram na maior parte do ano passado, deve finalmente aparecer quando as instituições começarem a divulgar os resultados na sexta-feira, em um sinal de que a economia está progredindo mais na recuperação da pandemia.

Most Read from Bloomberg

Dados do Federal Reserve compilados pela Bloomberg mostram que os empréstimos nos 25 maiores bancos foram 3,5% maiores no final de dezembro do que no ano anterior. Isso é uma clara melhora em relação ao final do terceiro trimestre, quando a mesma comparação ficou estável. Ainda assim, a variante ômicron altamente contagiosa de Covid-19 tem marcado as últimas semanas, com potencial de desfazer esses ganhos.

“Acho que o crescimento dos empréstimos no final do período será sólido”, disse Jason Goldberg, analista do Barclays, em entrevista. Embora 2021 tenha sido majoritariamente moderado, análise de alguns dados do Fed mostra boa recuperação no final do ano, disse.

O crescimento dos empréstimos tem sido um foco relevante para os investidores porque a demanda represada dos tomadores, normalmente um mau sinal para os bancos, está sendo atribuída a ondas de estímulo do governo vinculadas a restrições adotadas na pandemia e que agora estão diminuindo. Mas mesmo sem que as operações de empréstimos disparem de volta para a capacidade máxima, os bancos dos EUA têm registrado ganhos recordes durante a pandemia.

“O crescimento dos empréstimos foi baixo porque as pessoas tinham muito dinheiro, puderam pagar alguns de seus” cartões de crédito e outros empréstimos durante a pandemia, disse o CEO do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, em entrevista à Fox Business no início desta semana. “Você verá os bancos relatando números de crescimento de empréstimos, e eles estarão melhores agora do que há um trimestre, mas esse é o resultado de uma economia em crescimento.”

O JPMorgan será o primeiro a divulgar os resultados, na sexta-feira, seguido por Wells Fargo e Citigroup. Na próxima semana, será a vez do Goldman Sachs, Bank of America e Morgan Stanley.

Outros tópicos importantes a serem observados nos resultados do quarto trimestre serão a receita dos bancos de investimentos, como a inflação afetou os dados, a liberação de provisionamento e as perspectivas para 2022.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos