Mercado abrirá em 1 h 20 min

Grande SP e litoral abrirão comércio, e três regiões do interior deverão fechar

João Conrado Kneipp
·4 minutos de leitura
Customers wait to pick-up items bought online outside a store that remains partially open during a state government imposed quarantine to help stem the spread of the new coronavirus in Sao Paulo, Brazil, Monday, June 1, 2020. (AP Photo/Andre Penner)
Grande São Paulo e regiões próximas tiveram melhora nos índices, enquanto áreas no interior irão recuar e fechar os comércios. (Foto: AP Photo/Andre Penner)

O governo João Doria (PSDB) anunciou que as regiões da Grande São Paulo, o litoral paulista e o Vale do Ribeira melhoraram os índices de combate ao novo coronavírus e, como consequência, avançarão na flexibilização para reabertura dos comércios.

Já outras três regiões do interior: Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Barretos, apresentaram piora nos fatores considerados padrões e irão regredir para uma quarentena de forma mais restrita, com funcionamento apenas das atividades essenciais.

Leia também

As regiões da Grande São Paulo, litoral paulista e Vale do Ribeira sairão da fase 1 (vermelha) e passarão à fase 2 (laranja). Já as áreas de Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Barretos recuarão da fase 2 (laranja) e retornarão ao patamar da fase 1 (vermelha).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A nova reclassificação passará a valer a partir do dia 15, na próxima segunda-feira, e serão mantidas até o dia 28 de junho. Essa nova etapa, chamada por Doria de “nova quarentena”, será, na prática, a aplicação do Plano São Paulo, apresentado pelo governo no mês passado.

“O governo de São Paulo decreta nova quarentena de 15 a 28 de junho, será o 5º período de quarentena. Esta nova quarentena será denominada quarentena heterogênea, onde será aplicado o Plano São Paulo. Será uma retomada consciente da economia por fases e por regiões, com cuidado, com segurança e dentro dos limites determinados pela ciência e pela medicina e dessa orientação nós não nos afastaremos”, disse Doria, durante entrevista coletiva sobre medidas relacionadas ao coronavírus, nesta quarta-feira (10), no Palácio dos Bandeirantes.

São Paulo tem, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, 156.316 casos confirmados de Covid-19 e 9.862 mortes, batendo o recorde de mortes em 24 horas pelo segundo dia seguido: 340 óbitos registrados.

ENTENDA O PLANO SÃO PAULO

O Plano São Paulo, apresentado dia 27 de maio, é dividido em cinco fases, ou etapas, e cada região do estado será classificada em uma delas. O estado será dividido de acordo com as 17 Diretorias Regionais de Saúde - DRS, além da cidade de São Paulo, que será analisada isoladamente:

  • FASE 1 (VERMELHA) - Alerta Máximo:

Funcionam somente os serviços essenciais, a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 2 (LARANJA) - Controle:

Funcionam com restrições os setores de atividades imobiliárias; concessionárias; escritórios; comércios em geral; e shoppings centers

Funcionam sem restrições a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 3 (AMARELA) - Flexibilização:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 4 (VERDE) - Abertura Parcial:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza; e academias

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 5 (AZUL) - Normal Controlado:

Todos os setores funcionam, observando protocolos e determinações que serão especificadas pelo estado;

Liberação dos espaços públicos, e funcionamento de teatros, cinemas e eventos que promovam aglomerações, inclusive os esportivos, só serão autorizados nesta fase

OS CRITÉRIOS DO PLANO SÃO PAULO

O cálculo das fases levará em consideração cinco critérios: dois de Saúde (taxa de ocupação de leitos de UTI por infectados pela Covid-19; e número de leitos de UTI para 100 mil habitantes), e outros três critérios de evolução da pandemia (número de casos, número de internações, e número de óbitos).

De acordo com a equipe de governo, cada região do estado será analisada de maneira isolada e, caso cumpram os critérios necessários, terá sua classificação alterada.

A atualização da situação das regiões será feita semanalmente. No entanto, uma região só poderá evoluir para a próxima fase se mantiver os indicadores estáveis por 14 dias. Casos de evolução excepcionais serão avaliadas a parte pelo governo.