Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.518,72
    -250,17 (-0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Grécia autoriza turismo e americanos podem parar de usar máscara

·3 minuto de leitura

A Grécia inicia sua temporada turística nesta sexta-feira (14) com o retorno à liberdade de circulação após sete meses de confinamento, um dia após o anúncio de Washington de que americanos vacinados poderão parar de usar a máscara.

"Deixamos para trás as nuvens negras do medo e da insegurança", proclamou o ministro grego do Turismo, Harry Theocharis, dando início à temporada de verão na quinta-feira à noite no Templo de Poseidon, perto de Atenas.

O confinamento perimetral, as autorizações de saída por SMS, os controles policiais e multas... Tudo isso ficou para trás. Em toda a Grécia, confinada desde 7 de novembro, os museus também abrem nesta sexta-feira.

Agora, a única condição para viajar na Grécia, país cuja economia é altamente dependente do turismo, é estar vacinado ou apresentar teste de covid negativo.

- Ilhas protegidas -

O governo grego também lançou uma campanha massiva de vacinação em antecipação à temporada turística, especialmente nas ilhas. “Todas as nossas ilhas estarão totalmente protegidas até o final de junho. Até agora, um terço delas já foi vacinado”, anunciou o ministro do Turismo. No total, mais de 3,8 milhões de pessoas receberam pelo menos uma dose do imunizante em um país de 11 milhões de habitantes.

A Inglaterra também se prepara para iniciar uma nova etapa importante de seu desconfinamento na segunda-feira, com a reabertura de museus, hotéis e estádios, graças à queda acentuada de casos de coronavírus, após um longo e rígido bloqueio e uma campanha massiva de vacinação.

No entanto, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, expressou na quinta-feira preocupação sobre surtos localizados na Inglaterra da variante do coronavírus que surgiu na Índia. Johnson, porém, expressou confiança na continuação do desconfinamento.

Em Quebec, a partir desta sexta-feira, a vacinação estará aberta a toda a população. Nos Estados Unidos, cerca de 35% da população - cerca de 117 milhões de pessoas - já foi totalmente vacinada.

"Se você estiver totalmente vacinado, não precisa usar máscara", declarou com orgulho o presidente americano, Joe Biden, na quinta-feira nos jardins da Casa Branca, embora oito jogadores do clube de beisebol New York Yankees, já vacinados, tenham testado positivo para covid-19.

No entanto, as autoridades de saúde recomendam que as pessoas vacinadas continuem a usar máscara dentro dos transportes públicos (aviões, ônibus ou trens), bem como nos aeroportos e estações.

Os Estados Unidos, com mais de 584.000 mortes, continuam a ser o país mais atingido pela pandemia, que causou mais de 3,3 milhões de mortes no mundo. Logo atrás estão Brasil (mais de 430.000), Índia (mais de 258.000), México (219.590) e Reino Unido (127.640).

- Falta de vacinas na Índia -

Na Índia, muitos estados estão enfrentando uma escassez de vacinas, limitando a disponibilidade para os 600 milhões de adultos com idades entre 18 e 44 anos que já poderiam ser vacinados.

Alguns "geeks" desenvolveram ferramentas para ajudar os candidatos a tomar a vacina em algumas cidades a encontrarem horários assim que os imunizantes estiverem disponíveis.

Como Berty Thomas, 35, uma programadora amadora e analista de negócios baseada em Chennai (ex-Madras), que criou uma ferramenta de alerta com mensagens do Telegram e já tem mais de 400.000 assinantes.

“Você precisa de um sistema de vacinação porta a porta. Quem não tem smartphone, como faz?”, pergunta Mohendra Sharma, vendedora de leite em Nova Délhi, capital do gigantesco país de 1,3 bilhão de habitantes.

O Nepal, com seus 30 milhões de habitantes, é outro dos países duramente atingidos pela pandemia e que enfrenta uma escassez alarmante de oxigênio e vacinas.

Outro problema para países em desenvolvimento como a Índia é a suspensão das patentes de vacinas, medida exigida para aumentar a compra de imunizantes. Nesse sentido, depois dos Estados Unidos, a China se declarou nesta quinta-feira favorável à suspensão dessas patentes para vacinas contra a covid-19.

burs-dth/ybl/af/mps/am