Mercado abrirá em 2 h 56 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,78
    +0,63 (+0,92%)
     
  • OURO

    1.813,20
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    37.964,45
    +93,16 (+0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,14
    +11,38 (+1,23%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.116,42
    -7,44 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.110,50
    +37,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1173
    -0,0010 (-0,02%)
     

Grávidas que tomaram vacina da AstraZeneca vão poder receber segunda dose da Pfizer no Rio de Janeiro

·1 minuto de leitura
Grávidas que tomaram vacina da AstraZeneca vão poder receber segunda dose da Pfizer no Rio de Janeiro
Grávidas que tomaram vacina da AstraZeneca vão poder receber segunda dose da Pfizer no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro mudou a orientação para vacinação de grávidas e puérperas e agora o grupo que recebeu a vacina da AstraZeneca na primeira dose vai poder completar a imunização com o produto da Pfizer.

A orientação é após o imunizante ser associado a um número pequeno de casos de coagulação sanguínea. Países da Europa também tomaram medidas semelhantes e misturaram as duas vacinas.

Também podem receber uma segunda dose de imunizante diferente aqueles que tiveram reações graves após tomarem a AstraZeneca, mas é necessário a apresentação de um laudo médico que comprove a contraindicação.

Grávidas e a vacina da AstraZeneca

“Seguindo a recomendação do nosso comitê: as gestantes que tomaram a primeira dose da vacina AstraZeneca poderão, mediante avaliação dos riscos e benefícios com seus médicos, realizar a segunda dose com a vacina da Pfizer 12 semanas após a primeira dose”, explicou Daniel Soranz, Secretário de Saúde do Rio de Janeiro.

Leia mais:

O Ministério da Saúde, em maio, já havia suspendido a vacinação com o imunizante da AstraZeneca de grávidas e puérperas com comorbidades após um pedido da Anvisa. Desde então a aplicação passou a ser feita com outras vacinas.

Por enquanto, apenas no Rio de Janeiro está autorizada a vacinação de grávidas e puérperas que receberam a primeira dose da AstraZeneca com outro imunizante. A ideia é que a iniciativa seja avaliada pelo Ministério da Saúde para que a medida seja levada para outros estados brasileiros.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos