Mercado abrirá em 49 mins
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,43
    +0,67 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.801,40
    +5,10 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    62.714,00
    +1.740,06 (+2,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.236,33
    +31,78 (+0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.368,75
    +27,75 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5659
    -0,0149 (-0,23%)
     

Grávidas britânicas sem vacina são 20% em casos de Covid grave

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Mulheres grávidas que não foram vacinadas contra a Covid-19 representam quase 20% dos pacientes em estado crítico de coronavírus nos hospitais da Inglaterra, de acordo com o Serviço Nacional de Saúde.

Most Read from Bloomberg

Um em cada cinco pacientes que recebem tratamento especial por meio de uma máquina de revascularização desde julho são grávidas que não tomaram vacina, disse o NHS em comunicado na segunda-feira. Mesmo que as mulheres tenham preocupações acerca da vacinação durante a gravidez, não existe nenhuma ligação entre os imunizantes e um risco aumentado de aborto, parto prematuro ou doença, de acordo com Edward Morris, presidente do Royal College de Obstetras e Ginecologistas.

“Existem evidências significativas de que a vacina é a forma mais eficaz de proteger a mãe e o bebê contra a possibilidade de doenças graves”, disse Morris. Mais de 81.000 mulheres grávidas na Inglaterra receberam até agora sua primeira dose, e 65.000 foram totalmente vacinadas.

Uma futura mãe que passou quase um mês em cuidados intensivos disse que estava hesitante em ser vacinada após sofrer com dois abortos espontâneos antes da pandemia.

“Eu entendo perfeitamente a hesitação em se vacinar quando você está gerando um filho dentro de você”, disse Claire, mãe de 33 anos que o NHS identificou apenas pelo primeiro nome. “Depois do que aconteceu, posso dizer honestamente que o risco de não tomar a vacina contra Covid supera qualquer dúvida sobre tomá-la.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos