Mercado fechará em 13 mins
  • BOVESPA

    124.864,11
    -1.282,55 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.190,82
    -49,69 (-0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,05
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.802,30
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    32.260,51
    -65,01 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    780,62
    -13,12 (-1,65%)
     
  • S&P500

    4.413,18
    +45,70 (+1,05%)
     
  • DOW JONES

    35.080,62
    +257,27 (+0,74%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.106,75
    +178,25 (+1,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1370
    +0,0168 (+0,27%)
     

GPUs AMD Instinct MI200 com 128 GB de RAM equiparão supercomputador de 50 PFLOPs

·3 minuto de leitura

Bastante consolidada no mercado de CPUs, a AMD conseguiu agitar o mundo das GPUs quando anunciou no ano passado a família Radeon RX 6000, baseada na microarquitetura RDNA 2. Com desempenho e eficiência respeitáveis, a solução está presente em um número considerável de aparelhos modernos, incluindo o PlayStation 5 e o Xbox Series X e S, e chegará em breve a celulares e até carros.

RDNA é uma sigla que representa "Radeon DNA", em referência à raiz gamer da microarquitetura. Seguindo essa lógica, também no ano passado, a AMD apresentou a CDNA, "Compute DNA", microarquitetura voltada para GPUs focadas em cálculos pesados, utilizadas em supercomputadores e data centers para pesquisas científicas, por exemplo.

A Instinct MI100 foi o primeiro modelo a chegar baseada na CDNA 1 em novembro, e agora, cerca de 8 meses depois, está prestes a ser sucedida pela MI200, com a chegada da nova microarquitetura CDNA 2.

Assim como a contraparte gamer RDNA 2, a CDNA 2 promete trazer saltos significativos de desempenho, principalmente pela adoção do design Multi-Chip Module (MCM), que utiliza múltiplos chips em uma única placa, algo até então inédito em GPUs. Ainda pouco conhecida, a MI200 acaba de ganhar novidades graças a um anúncio importante para a AMD.

AMD Instinct "MI-Next" equipará supercomputador de 50 PFLOPs

Durante a ISC 2021, feira internacional em que novidades do mundo da computação de alta performance (HPC) são anunciadas, a empresa australiana Pawsey trouxe detalhes do Setonix, novo supercomputador do país a contar com 50 petaflops (PFLOPs) de poder computacional.

Para atingir a marca, a máquina será equipada com mais de 200 mil núcleos de processadores AMD EPYC Milan, baseados na microarquitetura Zen 3, e mais de 750 Instinct "MI-Next", esperada para chegar ao mercado como MI200. Há ainda 548 TB de RAM e 90 petabytes (PB) de armazenamento no formato Ceph, dedicado a data centers.

Além de 720 Instinct MI200, o Setonix traz mais de 200 mil núcleos de CPUs EPYC Milan e 548 TB de RAM (Imagem: Reprodução/WCCFTech)
Além de 720 Instinct MI200, o Setonix traz mais de 200 mil núcleos de CPUs EPYC Milan e 548 TB de RAM (Imagem: Reprodução/WCCFTech)

O maior destaque é a configuração das GPUs, que tiveram o uso de 128 GB de memória dedicada por unidade confirmado pelo anúncio. O número impressiona, e supera com facilidade rivais como a Nvidia A100, que chega a no máximo 80 GB de memória.

Ainda de acordo com as informações, o projeto custará cerca de 70 milhões de dólares (algo em torno de R$ 360 milhões, em conversão direta) e será destinado à descoberta de novas galáxias e a estudos voltados ao combate da COVID-19.

Esquema de funcionamento do Setonix na busca por novas galáxias (Imagem: Reprodução/WCCFTech)
Esquema de funcionamento do Setonix na busca por novas galáxias (Imagem: Reprodução/WCCFTech)

Apesar do valor elevado, o Setonix tem grande importância para pesquisadores australianos, dependentes atualmente dos supercomputadores Magnus e Galaxy, que combinados entregam "apenas" 1,83 PFLOPs.

Instinct MI200 tem mais de 14 mil núcleos em 7 nm

Reunindo informações divulgadas por rumores e vazamentos, espera-se que a AMD Instinct MI200 seja equipada com a GPU de codinome "Aldebaran". Graças ao design MCM, a placa contará com até 256 Unidades Computacionais (CUs), para um total de 16.384 núcleos. A versão que será disponibilizada no mercado, no entanto, terá 224 CUs, com 14.336 núcleos.

Diagrama da suposta organização da GPU "Aldebaran" da Instinct MI200 (Imagem: Locuza)
Diagrama da suposta organização da GPU "Aldebaran" da Instinct MI200 (Imagem: Locuza)

Como confirmou o anúncio da Pawsey, a MI200 contará com 128 GB de RAM no padrão HBM2e que, associada a uma interface de 8192-bit, entregará uma largura de banda de cerca de 2 TB/s. O poder computacional, clocks e outros aspectos ainda são desconhecidos no momento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos